PLANTANDO DÁ, SIM

RECICLAR É PRECISO

RECICLAR É PRECISO
RECICLAR É PRECISO. O MAIS, SERÁ PRECISO? Viver com alegria é viver em paz e harmonia. É olhar com a alma, observar com o coração, agir em conformidade com a natureza. Somos tanto mais necessários quanto mais úteis, em equilíbrio com o todo. Somos um; você sou eu e tudo o que o afeta, afeta a mim, também.

VOCÊ ENCONTROU O QUE QUERIA? PESQUISE. Nas guias está a matéria que interessa a você.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.
GUIAS (OU ABAS): 'este blog', 'blogs interessantes', 'só direito', 'anotações', 'anotando e pesquisando', 'mais blogs'.

VAMOS LÁ! CLIQUE PARA SEGUIR!

terça-feira, 13 de novembro de 2012

MARIA-SEM-VERGONHA

Quem a batizou, Maria?
Por que guarda esse nome?

Alegre, divertida, 
Até no portar as sementes
Traz o brinquedo às crianças:
Plic-ploc, espalham-se as pequeninas
Reservadas na concha-vagem.


Por que "sem-vergonha", Maria?
Porque sabe tanto dar
E no seu arrebatamento
Tem tão pouco a exigir?


Sem-vergonha, Maria, por quê?
Apenas porque alegre
Por que rica de cores
Por que plena de amores
Por que não se acabrunha? 

Diz-me, Maria, veio em semente
Colada à pele do escravo
Para enricar Serra do Mar?
Tanto  lhe devemos, Maria,
Pois este povo 
Branco-índio-negro-e-amestiçado
Mais rico hoje tem seu olhar.

Maria, bela Maria
Se também a conhecem por beijinho, beijo turco
Por que para nós é Sem-Vergonha?
Por que basta você a um cantinho 
Para o encantar?
Ou porque os cobiçosos
Enraivecidos de tanta luxúria
Fazem pouco, às escâncaras,
Para a amofinar?
Vibra, Maria, sorri, Maria,
Chamada de Sem-Vergonha.
Um pouquinho de umidade,
O sol a abençoá-la - mesmo pouco
E sorri, da vida, plena, o ano todo.

Parece-me, Maria, inveja
De suas cores, de seu deslumbre
De seu brilho em matizes tantos
Que não se pode copiar.
Os néscios, que se calam
Estúpidos e incolores
Fazem-se de doutores.
Não, Maria, você, canta,
E ri, e encanta.
Sempre bem, você goza a vida.
Não se importa com os ineptos
Que teimam no injuriá-la.
Você também é douta, Impatiens walleriana
Poderia se impor, mas para quê?
Se alegra porque é, 
Não precisa fazer-se ser
Na arrogância do não sendo.
Que seja "Sem-Vergonha", minha sempre Maria
Que doce me alegra a vida desde menina
Maria-Bela
Maria-Nobre
Rica-Maria.


Maria da Glória Perez Delgado Sanches

Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.

Conheça mais. Faça uma visita blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, português, poemas e crônicas ("causos"): http://www.blogger.com/profile/14087164358419572567
A great day and a great week!

OS QUADROS QUE ORNAMENTAM AS PAREDES DO FORUM REGIONAL DO IPIRANGA - XI


Há muitos anos juízes comprometidos com o bem estar de quem labora no Forum Regional do Ipiranga ou apenas por ele transita tiveram uma idéia: transformar o espaço insosso em um local agradável. As prateleiras de processos passaram a ocupar lugar reservado, distante do olhar perscrutador dos frequentadores do balcão; acrescentaram vasos de plantas e quadros às paredes. A iniciativa teve êxito e gerou

bons frutos.
    No ano passado...

OS QUADROS QUE ORNAMENTAM AS PAREDES DO FORUM REGIONAL DO IPIRANGA - X


Há muitos anos juízes comprometidos com o bem estar de quem labora no Forum Regional do Ipiranga ou apenas por ele transita tiveram uma idéia: transformar o espaço insosso em um local agradável. As prateleiras de processos passaram a ocupar lugar reservado, distante do olhar perscrutador dos frequentadores do balcão; acrescentaram vasos de plantas e quadros às paredes. A iniciativa teve êxito e gerou
bons frutos.
    No ano passado...

UM EXCELENTE DIA!


DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.
Ser feliz é uma opção e você é livre para viver a vida. Escolha seu sonho. Vale a pena.

QUEM SOU EU

Minha foto

Da capital, já morei entre verde e bichos, na lida com animais e plantas: anos de injeção, espinho de ouriço, berne, parto de égua e curva de nível, viveiros, mudas, onde encontrei tempo para lecionar inglês, alfabetizar adultos e ler livros, na solidão do mato. 

Paixões se sucederam e convivem até hoje: Contabilidade, Economia, Arquitetura (IMES, MACK), a chácara e, afinal, o Direito (FDSBC, cursos e pós graduações). No Judiciário desde 2005, planto, replanto, reciclo, quebro paredes, reconstruo, estudo, escrevo e poetizo, ao som de passarinhos, que cantam nossa liberdade.

Não sou da cidade, tampouco do campo. Aprendiz, tento captar o que a vida oferece, para que o amanhã seja melhor. Um mundo melhor, sempre.

Agora em uma cidade mágica, em uma casa mágica, na qual as coisas se transformam e ganham vida; mais e mais vida. Minha cidade-praia-paraíso, Itanhaém.

Nesta casa de espaços amplos e um belo quintal, que jamais é a mesma do dia anterior, do minuto anterior (pois a natureza cuida do renovar a cada instante o viço, as cores, flores, aromas e sabores) retomei o gosto pelo verde, por releituras de espaços e coisas. Nela planto o que seja bom de comer ou de ver (ou deixo plantado o que Deus me trouxe), colho, podo, cozinho os frutos da terra, preparo conservas e invento pratos de combinações inusitadas, planejo, crio, invento, pinto e bordo... sonho. As ideias brotam como os rebentos e a vida mostra-se viva, pulsante.

Aqui, em paz, retomo o fazer miniaturas, componho terrários que encantam, mensagens de carinho representadas em pequenas e delicadas obras. 

Muito prazer! Fique à vontade, passeie um pouco: questões de Direito, português, crônicas ("causos"), jardinagem e artesanato. Uma receita, uma experiência nova, um redescobrir. 

Pergunte, comente, critique, ok? A casa é sua e seu comentário será sempre bem-vindo.

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

ARQUIVO DO BLOG