PLANTANDO DÁ, SIM

RECICLAR É PRECISO

RECICLAR É PRECISO
RECICLAR É PRECISO. O MAIS, SERÁ PRECISO? Viver com alegria é viver em paz e harmonia. É olhar com a alma, observar com o coração, agir em conformidade com a natureza. Somos tanto mais necessários quanto mais úteis, em equilíbrio com o todo. Somos um; você sou eu e tudo o que o afeta, afeta a mim, também.

VOCÊ ENCONTROU O QUE QUERIA? PESQUISE. Nas guias está a matéria que interessa a você.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.
GUIAS (OU ABAS): 'este blog', 'blogs interessantes', 'só direito', 'anotações', 'anotando e pesquisando', 'mais blogs'.

VAMOS LÁ! CLIQUE PARA SEGUIR!

terça-feira, 11 de março de 2014

REDES COLORIDAS DENTRO DE CASA: UM TOQUE DE ALEGRIA E DESCONTRAÇÃO

Adorei a ideia das redes coloridas dentro de casa. Estas primeiras, presas ao teto, dispensam os ganchos nas paredes.
Os ambientes, que sem elas seriam sérios, ganharam o ar despojado, praiano. 
Depois de um dia de trabalho, é aconchegante!
Veja que, nas salas, compõem espaços únicos e criativos. 
Destaque para as varandas das redes, trabalhadas.
Nesta última foto, a rede é branca, acompanhando as paredes. O toque colorido fica por conta das cadeiras. 

Imagens: Baliza Construtora


Por Maria da Glória Perez Delgado Sanches

Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.

Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.

UM REGADOR DIFERENTE: CRIE O SEU A PARTIR DE UMA EMBALAGEM PLÁSTICA

Imagem: baliza construtora

Com alguns furinhos na tampa, a embalagem plástica transformou-se em um prático regador.
Que tal criar o seu?
Você vai precisar, apenas, de uma agulha e um alicate.
Aqueça a agulha no fogo e fure a tampa, sempre em sentido perpendicular.
Encha de água, rosqueie e pronto!

Por Maria da Glória Perez Delgado Sanches

Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.

Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.

PÓ DE SERRA: DICA DO JARDINEIRO

Comprei terra preta (terra vegetal, rica em nutrientes) para a formação do jardim tropical. 
O jardineiro, de pronto, criticou: "A terra vai ficar dura, com o tempo. É bom pó de serra, quanto mais podre, melhor."
A dica foi seguida: três grandes sacos de pó de serra, cedidos por uma serraria da redondeza.
Pó de serra é a serragem originada pelo corte de madeira. Nas serrarias, é lixo, acomodado em montes, doado ou desprezado.
Bom para minhocas, facilita a absorção dos nutrientes do solo. Misturado o pó à terra, permanece ela aerada e úmida. 
Veio a seca, em janeiro, e um calor nunca antes registrado. Minhas capuchinhas morreram, o amor perfeito, também. Ficaram as sementes e a paciência para vê-las germinar.
O tropical, em contrapartida, verdinho, não se abateu.

Por Maria da Glória Perez Delgado Sanches

Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.

Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.

VOCÊ TEM AQUÁRIO EM CASA? SOBRE A ÁGUA DOS AQUÁRIOS, O ADUBO NPK E ADUBOS ORGÂNICOS

Se você tem aquário em casa, não importa o tamanho, pode utilizar a água da troca para regar suas plantas (jardim, vasos ou horta). A água dos aquários é rica em nitrogênio e fósforo. 
As plantas extraem do solo os nutrientes de que precisam. Na natureza, tais nutrientes tem origem em um ciclo: plantas e animais morrem, dando origem a novas plantas, que alimentarão outros animais. 
As terras cultivadas não se beneficiam do ciclo natural e exaurem-se com facilidade. É preciso repor os nutrientes que serviram de alimento às plantas, enriquecer o solo com macronutrientes, obtidos pelo uso de adubos químicos ou orgânicos.
Os adubos ou fertilizantes agrícolas são vendidos nas formas NPK. N significa nitrogênio; P, fósforo e K, potássio.
O uso de cada fórmula depende da necessidade das plantas. O agricultor tem em mente o estado de desenvolvimento delas e para ele a fórmula errada é sinônimo de desperdício; o jardineiro utiliza adubos com a composição 10-10-10 (10 partes de nitrogênio para 10 partes de fósforo e 10 partes de potássio).
O nitrogênio é necessário para o desenvolvimento das plantas e a produção de folhas. Sem ele, o crescimento é retardado e as folhas, pálidas ou amareladas.
O fósforo é responsável pela produção da clorofila e ajuda no desenvolvimento das raízes, sementes e frutos.
O potássio é necessário para o desenvolvimento das plantas e suas raízes. Fortalece e confere maior resistência às secas, pragas e doenças.
Se deseja produzir fertilizante orgânico, pode reaproveitar a água dos aquários (rica em nitrogênio e fósforo, como adiantado) e cinzas da queima de madeira, estas ricas em potássio. Também pode ser utilizada na rega a água que serviu para o cozimento de vegetais.
O material proveniente da poda, restos de alimentos (como exemplo, casca de frutas e legumes, casca de ovo) e esterco são também bons fertilizantes, que não devem, entretanto, ser aplicados diretamente nas plantas, mas antes passar por um processo de compostagem. 
Outra dica é o plantio de feijão. Leguminosas como o feijão possuem rizomas, que ajudam na fixação do nitrogênio no solo.
Não sabe se a fórmula está equilibrada? Não se preocupe. Aquilo que sua planta não precisar, dispensará. 

Por Maria da Glória Perez Delgado Sanches

Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.

Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.
Ser feliz é uma opção e você é livre para viver a vida. Escolha seu sonho. Vale a pena.

QUEM SOU EU

Minha foto

Da capital, já morei entre verde e bichos, na lida com animais e plantas: anos de injeção, espinho de ouriço, berne, parto de égua e curva de nível, viveiros, mudas, onde encontrei tempo para lecionar inglês, alfabetizar adultos e ler livros, na solidão do mato. 

Paixões se sucederam e convivem até hoje: Contabilidade, Economia, Arquitetura (IMES, MACK), a chácara e, afinal, o Direito (FDSBC, cursos e pós graduações). No Judiciário desde 2005, planto, replanto, reciclo, quebro paredes, reconstruo, estudo, escrevo e poetizo, ao som de passarinhos, que cantam nossa liberdade.

Não sou da cidade, tampouco do campo. Aprendiz, tento captar o que a vida oferece, para que o amanhã seja melhor. Um mundo melhor, sempre.

Agora em uma cidade mágica, em uma casa mágica, na qual as coisas se transformam e ganham vida; mais e mais vida. Minha cidade-praia-paraíso, Itanhaém.

Nesta casa de espaços amplos e um belo quintal, que jamais é a mesma do dia anterior, do minuto anterior (pois a natureza cuida do renovar a cada instante o viço, as cores, flores, aromas e sabores) retomei o gosto pelo verde, por releituras de espaços e coisas. Nela planto o que seja bom de comer ou de ver (ou deixo plantado o que Deus me trouxe), colho, podo, cozinho os frutos da terra, preparo conservas e invento pratos de combinações inusitadas, planejo, crio, invento, pinto e bordo... sonho. As ideias brotam como os rebentos e a vida mostra-se viva, pulsante.

Aqui, em paz, retomo o fazer miniaturas, componho terrários que encantam, mensagens de carinho representadas em pequenas e delicadas obras. 

Muito prazer! Fique à vontade, passeie um pouco: questões de Direito, português, crônicas ("causos"), jardinagem e artesanato. Uma receita, uma experiência nova, um redescobrir. 

Pergunte, comente, critique, ok? A casa é sua e seu comentário será sempre bem-vindo.

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

ARQUIVO DO BLOG