PLANTANDO DÁ, SIM

RECICLAR É PRECISO

RECICLAR É PRECISO
RECICLAR É PRECISO. O MAIS, SERÁ PRECISO? Viver com alegria é viver em paz e harmonia. É olhar com a alma, observar com o coração, agir em conformidade com a natureza. Somos tanto mais necessários quanto mais úteis, em equilíbrio com o todo. Somos um; você sou eu e tudo o que o afeta, afeta a mim, também.

VOCÊ ENCONTROU O QUE QUERIA? PESQUISE. Nas guias está a matéria que interessa a você.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.
GUIAS (OU ABAS): 'este blog', 'blogs interessantes', 'só direito', 'anotações', 'anotando e pesquisando', 'mais blogs'.

VAMOS LÁ! CLIQUE PARA SEGUIR!

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Confira dicas sobre como evitar afogamentos em praias e rios

No verão, turistas e munícipes aproveitam as belas praias do litoral, que são uma boa opção para se refrescar nas altas temperaturas. No entanto, os banhistas devem estar atentos aos perigos que podem estragar a diversão. Para isso, basta seguir alguns cuidados para que se evitem possíveis riscos.
O tenente Durval Vagner Santos de Lima, do Grupamento de Bombeiros Marítimo PB21 de Praia Grande, que é responsável pela cobertura de todo o Litoral Sul, dá dicas de como os banhistas podem evitar possíveis acidentes corriqueiros nas praias e rios da região. “É preciso lembrar sempre do lema dos guarda-vidas, em que diz que ‘água no umbigo é sinal de perigo’”.
Por questão de segurança, é aconselhável ficar sempre na parte rasa, na beirada, evitando ao máximo ir para o fundo. É bom também observar se há guarda-vidas nas proximidades, pois, caso ocorra algum acidente, a pessoa terá prontamente a garantia de socorro.
É preciso respeitar as placas que indiquem sinais de perigo. O tenente lembra que é importante não fazer uso de materiais flutuantes como boias, colchões de ar e pranchas desprendidas do calcanhar, já que o uso desses acessórios, além de causar a falsa sensação de segurança, durante um possível afogamento serão deixados de lado e atrapalharão os bombeiros na hora do resgate.
Também é imprescindível, caso a pessoa vá entrar na água, não consumir bebidas alcoólicas, visto que a maioria dos casos de afogamento se justifica porque a vítima estava sob efeitos do álcool. “Geralmente, a pessoa embriagada perde a noção do perigo”, alerta o tenente. Também é recomendado não comer e logo em seguida entrar no mar.
Quanto aos rios, o tenente alerta que, se possível, evitar nadar nesses locais caso a pessoa o desconheça. O perigo também se justifica pelo solo irregular, podendo haver ali raízes, buracos e risco de forte correnteza. Durval lembra que os mesmos cuidados para o banho de mar também valem para os rios.
Vale ressaltar que, no caso de dúvidas, sempre procure obter informações com algum guarda-vidas.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social de Itanhaém

Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.


Maria da Glória Perez Delgado Sanches
Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.

BANANEIRAS NÃO PRODUZEM LARANJAS. PARA COLHER É PRECISO PLANTAR.

Bem a propósito: neste início de ano devemos pensar e analisar o contexto em que vivemos:
Somos os mesmos que no ano passado?
Criamos situações melhores para a solução de problemas?
O que plantamos?
Que frutos desejamos colher durante 2014?
Não basta sonhar. É preciso plantar, para colher. Afinal, bananeiras jamais produzirão laranjas.

Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.


Maria da Glória Perez Delgado Sanches
Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.

DE VASOS E CACHEPOTS, FLORES E CRIATIVIDADE


Estas imagens colhi no caminho do trabalho. São pequenos vasinhos, expostos em uma loja, que abrigam singelas flores da fortuna ou kalanchoes.
Pouco exigentes, as plantinhas servem-se de vasos plásticos, encaixados em pequenos cachepots: o primeiro recebeu a colagem de uma imagem, o segundo, poás e corações. Basta um pouco de tinta, verniz ou cola branca (para proteger o recorte) e alguma criatividade.
No primeiro há também um espeto, que revela uma flor, feita de cartolina. Sem ela as flores, brancas, perderiam o contraste, pois a parede foi pintada, também, na mesma cor.
O resultado é único, delicado.
Experimente e faça o seu.

Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.


Maria da Glória Perez Delgado Sanches
Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.

CHUVEIRO HORIZONTAL: REFRESCA, EMBELEZA E UMIDIFICA O AR

Uma solução para o calor?
O chuveiro horizontal. 
Confeccionado com um cano de pvc, recebeu diversos furos e se presta ainda como elemento paisagístico (detalhe para os postes envoltos em pedras). 
Tenho minha horta ao lado da área da churrasqueira. Esta, por óbvio, é mais quente e, nos dias de absurdo calor, como os atuais, pode a ideia servir tanto para regar a horta como para umidificar e refrescar os ambientes.
A mesma ideia pode ser adaptada para um cenário incrível no jardim: você pode, ao invés de ter uma fonte, um espaço onde caminhe e seja abençoado pelo pingar, múltiplo e contínuo, que cai em um caminho e é devolvido por uma bombinha: simples, fácil e inusitado.

A fotografia foi colhida do Google+ das postagens da figura incrivelmente simpática que é nossa Chika (Francisca Borges, é a primeira, à direita). Sempre às voltas com idéias originais e criativas, ligadas à natureza, surpreende pela criatividade do ambiente em que vive.

Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.


Maria da Glória Perez Delgado Sanches
Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.

DICAS DE JARDINAGEM: CANTEIROS SEPARADOS POR TELHAS.

A figura central desta foto é Francisca Borges (a Chika). Um amor de pessoa, animada, vive em comunhão com a natureza, animais e pessoas. 
Posto a fotografia da bela Chika para passar adiante a ideia de aproveitamento de materiais - no caso, telhas - para a confecção de cercas. 
Observe que a repetição dos elementos cria a ideia de continuidade, sem poluir o cenário. Entre a vegetação protegida, bromélias e aboboreiras. Poderia ser um jardim, uma horta. Ao invés de telhas, garrafas, tijolos (em pé) ou o que mande sua criatividade e os elementos de que dispuser. 

Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.


Maria da Glória Perez Delgado Sanches
Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.


Assembleia Geral da ONU aprova Década Internacional de Afrodescendentes

Intitulada “Pessoas Afrodescendentes: reconhecimento, justiça e desenvolvimento”, a Década será celebrada de 2015 a 2024 com o objetivo de reforçar o combate ao preconceito, à intolerância, à xenofobia e ao racismo.

Promovido pelo Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio) e parceiros, show no Rio de Janeiro apoiou campanha pela aprovação da Década Internacional de Afrodescendentes. Na imagem, apresentação de André Sampaio & Os Afro Mandinga. Foto: UNIC Rio/Felipe Siston

A Assembleia Geral da ONU adotou na última segunda-feira (23), por consenso, uma resolução que cria a Década Internacional de Afrodescendentes. Intitulada “Pessoas Afrodescendentes: reconhecimento, justiça e desenvolvimento”, a Década será celebrada de 1º de janeiro de 2015 a 31 de dezembro de 2024. O objetivo é aumentar a conscientização das sociedades no combate ao preconceito, à intolerância, à xenofobia e ao racismo.
O documento enfatiza que, apesar de muitos esforços pelo mundo, “milhões de seres humanos continuam a ser vítimas do racismo, da discriminação racial, da xenofobia e da intolerância relacionada, inclusive suas manifestações contemporâneas, algumas das quais tomam formas violentas”.
No último dia 20 de novembro, quando é marcado o Dia da Consciência Negra, o Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio) e parceiros promoveram o show “Encontro das Áfricas”, no Rio de Janeiro, que contou com a participação de artistas brasileiros e estrangeiros que sintetizaram as diferentes culturas africanas com apresentações que foram dos tambores à música eletrônica.
A iniciativa foi realizada em apoio à então campanha para que os Estados-membros da ONU aprovassem a Década. A aprovação do decênio também deve impulsionar o plano de ação estabelecido na Conferência de Durban, em 2001, sobre o tema.
Por meio de nota, o governo brasileiro afirmou que empenhou-se diretamente no processo de negociações que levou à proclamação da Década, manifestando “grande satisfação” pela proclamação da data.
A representação brasileira nas Nações Unidas ressaltou que o País tem o maior número de pessoas de ascendência africana fora do continente. A delegação do Brasil lembrou que o País continua a enfrentar o racismo e a intolerância herdada de seu passado colonial.
Fonte: ONU. Blog parceiro cadastrado.
Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar. 
Maria da Glória Perez Delgado Sanches
Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.
Ser feliz é uma opção e você é livre para viver a vida. Escolha seu sonho. Vale a pena.

QUEM SOU EU

Minha foto

Da capital, já morei entre verde e bichos, na lida com animais e plantas: anos de injeção, espinho de ouriço, berne, parto de égua e curva de nível, viveiros, mudas, onde encontrei tempo para lecionar inglês, alfabetizar adultos e ler livros, na solidão do mato. 

Paixões se sucederam e convivem até hoje: Contabilidade, Economia, Arquitetura (IMES, MACK), a chácara e, afinal, o Direito (FDSBC, cursos e pós graduações). No Judiciário desde 2005, planto, replanto, reciclo, quebro paredes, reconstruo, estudo, escrevo e poetizo, ao som de passarinhos, que cantam nossa liberdade.

Não sou da cidade, tampouco do campo. Aprendiz, tento captar o que a vida oferece, para que o amanhã seja melhor. Um mundo melhor, sempre.

Agora em uma cidade mágica, em uma casa mágica, na qual as coisas se transformam e ganham vida; mais e mais vida. Minha cidade-praia-paraíso, Itanhaém.

Nesta casa de espaços amplos e um belo quintal, que jamais é a mesma do dia anterior, do minuto anterior (pois a natureza cuida do renovar a cada instante o viço, as cores, flores, aromas e sabores) retomei o gosto pelo verde, por releituras de espaços e coisas. Nela planto o que seja bom de comer ou de ver (ou deixo plantado o que Deus me trouxe), colho, podo, cozinho os frutos da terra, preparo conservas e invento pratos de combinações inusitadas, planejo, crio, invento, pinto e bordo... sonho. As ideias brotam como os rebentos e a vida mostra-se viva, pulsante.

Aqui, em paz, retomo o fazer miniaturas, componho terrários que encantam, mensagens de carinho representadas em pequenas e delicadas obras. 

Muito prazer! Fique à vontade, passeie um pouco: questões de Direito, português, crônicas ("causos"), jardinagem e artesanato. Uma receita, uma experiência nova, um redescobrir. 

Pergunte, comente, critique, ok? A casa é sua e seu comentário será sempre bem-vindo.

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

ARQUIVO DO BLOG