PLANTANDO DÁ, SIM

RECICLAR É PRECISO

RECICLAR É PRECISO
RECICLAR É PRECISO. O MAIS, SERÁ PRECISO? Viver com alegria é viver em paz e harmonia. É olhar com a alma, observar com o coração, agir em conformidade com a natureza. Somos tanto mais necessários quanto mais úteis, em equilíbrio com o todo. Somos um; você sou eu e tudo o que o afeta, afeta a mim, também.

VOCÊ ENCONTROU O QUE QUERIA? PESQUISE. Nas guias está a matéria que interessa a você.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.
GUIAS (OU ABAS): 'este blog', 'blogs interessantes', 'só direito', 'anotações', 'anotando e pesquisando', 'mais blogs'.

VAMOS LÁ! CLIQUE PARA SEGUIR!

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

CAMINHÃO COLIDE COM PASSARELA, NA LINHA AMARELA, RIO DE JANEIRO. DE QUEM É A RESPONSABILIDADE?

Na última terça-feira um motorista de caminhão, da empresa Arco Aliança, que presta serviços de retirada de entulho para a prefeitura do Rio de Janeiro (Comlurb), colidiu com uma passarela, na via expressa, altura de Pilares, zona norte do Rio de Janeiro.
Com a caçamba aberta, a altura do veículo ultrapassou os 4,5 metros possíveis para o trânsito, o que provocou a morte de cinco pessoas e ferimentos em outras quatro.
O motorista conversava ao celular e trafegava em horário proibido - antes das 10h da manhã.
O acidente poderia ter sido evitado se a fiscalização fosse efetiva. 
Não importa se houve falha humana ou mecânica no erguimento da caçamba - afinal, o caminhão acessou a via expressa com a caçamba abaixada e o compartimento foi erguido pouco antes de se chocar com a passarela. Se tivesse sido barrado, o acidente não teria acontecido.
Como explicar o trânsito proibido de veículos de grande porte em vias pedagiadas?
É o que também ocorre no sistema Anchieta-Imigrantes, administrado pela Ecovias: pagamos o pedágio mais caro do país, não há segurança, veículos pesados transitam em horários proibidos e outros, sem condições de trafegar, circulam livremente.
Quando falo em segurança, refiro-me inclusive a assaltos cometidos por marginais, quando há congestionamento - muitas vezes provocados pela própria Ecovias e muitas dessas vezes sem razão, pois a "operação comboio" é utilizada mesmo quando não há neblina. Os congestionamentos são frequentes nas praças de pedágio, expondo motoristas a perigo e estresse desnecessários.
Os caminhões transitam em alta velocidade e praticam manobras arriscadas.
A falta de segurança e a má administração são comuns, tanto nas vias administradas pela Ecovias (Sistema Anchieta-Imigrantes) como pela Lamsa (Via Amarela). 
Se errou o motorista?
Não sei.
Houve falha mecânica?
Também não sei.
O certo é que alguém terá que indenizar as famílias dos mortos e os feridos.
É certo, também, que houve perdimento de bens públicos e incrível congestionamento, o que causou prejuízo a milhares de pessoas.
Alguém terá que pagar. 
Quem cobra, deve servir. Que partilhem, também, os prejuízos. Sem a possibilidade de repassar para o usuário (a vítima do sistema).

Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.

Maria da Glória Perez Delgado Sanches
Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

SHOWS NA SUA CIDADE: QUEM GANHA COM ISSO? VAMOS ACABAR COM ESSA FARRA.


Quem ganha com os shows de final de ano, de verão e de aniversário das cidades? E com o carnaval?
O que ganham os munícipes?
As fotografias aqui reproduzidas foram divulgadas no site do Município de Itanhaém.
O prefeito contratou diversos artistas para, desde dezembro e em todos os finais de semana, até 1º de fevereiro, apresentarem-se na arena montada na Avenida Jaime de Castro. Tal façanha se repete a cada ano.
O "privilégio" ou "desvantagem" não é apenas da estância balneária do litoral sul paulista. Ibiúna, São Bernardo do Campo, São Paulo e centenas de outros municípios têm suas verbas, que deveriam ser empregadas em serviços públicos, destinadas ao patrocínio de shows.
Pergunto novamente: Quem ganha com isso?
É claro, os artistas faturam. E muito. Ganham também visibilidade, o que, para eles, é interessante.
Se a cidade gozasse de boa saúde - excelentes hospitais e escolas (inclusive faculdades), ruas pavimentadas, tratamento de esgoto, segurança, policiamento - o lazer promovido seria justificado. Existem prioridades, entretanto, que não são levadas em consideração.
Para que - ou para quem - o show do Daniel se não há esgoto tratado e pavimentação para todos e bom atendimento em hospitais?
Verbas há e haveria mais se o prefeito se mexesse. Se cobrasse dos proprietários a regularidade dos imóveis. 
Mas não. Tudo é festa, abaixo do Equador. Dos mais de cinco mil municípios brasileiros, quantos escapam da tentação de ter patrocinado um showzinho pelo prefeito? Verba com destinação fácil, sem necessidade de licitação.
Afinal, se os outros fazem, por que não fazer também, se é lícito?
É lícito mas não é honesto. É lícito mas não é louvável. É lícito mas não é ético.
Neste mesmo espaço divulguei a atitude elogiosa do prefeito de Petrópolis, que cancelou o carnaval para repassar um milhão de reais para investimentos na área da saúde. 
É preciso ter coragem, ética e consciência para acabar com essa farra, essa farsa que não beneficia em nada município e munícipes.


Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.


Maria da Glória Perez Delgado Sanches
Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

VIVER ATRÁS DAS GRADES

Viver atrás das grades
O mundo visto quadriculado, listrado, deturpado por barras.
Viver atrás das grades
 Sem condenação, sem mandado de prisão.
Viver atrás das grades 
Por proteção
Por medo
Porque é preciso.
Ainda - e por mais que se queira
Combinar, fazer delas 
O ambiente decorado
São artifício 
Para defesa
Do que é meu
Do que me é caro.

Grades:
Preço da vida
Vivida na violência
Dos centros urbanos.

Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.


Maria da Glória Perez Delgado Sanches
Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

FLOR DE CACTO: DELICADA, EXUBERANTE


Em meu pequeno jardim de pedras*, descubro um presente, uma dádiva: o cacto floriu.
Entre as espinhosas plantas, a delicada flor, dourada e exuberante.

(*) FLOREIRAS EM DEGRAUS, CONFECCIONADAS COM PEDRAS OU ENTULHO: CONFIRA OS RESULTADOS (RESULTADOS: PARTE II)

Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.

Maria da Glória Perez Delgado Sanches
Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

ARCO-IRIS

“Entre Deus e o homem, o Elo”
“Em seu final, o pote alvissareiro”
Depois da chuva, a expressão do belo
É dia de sol e aguaceiro.
Seguem cá cheiros da terra
E sons dos pássaros errantes
Presente da luz, bênçãos encerra.


Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.

Maria da Glória Perez Delgado Sanches
Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.


QUER ADOTAR UM GATINHO?

Madeira, papel machê, não importa. Estes gatinhos são uma gracinha. 
Expostos na entrada de uma loja, no Ipiranga, servem como modelos para você criar o seu. 
Não são um charme?
Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.


Maria da Glória Perez Delgado Sanches
Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

JARDIM HORIZONTAL EM CERCA VIVA: UMA ESPECIAL ATRAÇÃO EM ESPAÇO MÍNIMO (clique nas fotos para ampliar)

Palavras não bastam para descrevê-lo: "vasos presos nas trepadeiras"?
Não. O melhor, no caso, são as imagens, que tornam o espaço especialíssimo, inusitado e único, não importa qual a espécie que utilize como cobertura: unha de gato, hera etc.
Aprecie, pois, sem moderação. 
Se houver onde prender pequenos vasinhos em seu muro, mãos à obra. O resultado, como pode avaliar pelas várias fotografias, é surpreendente.







Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.
Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.
Maria da Glória Perez Delgado Sanches
Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

RECEITA DE TACACÁ

Recebemos esta receita do Charles Michel Ressel, no curso Docência Online, patrocinado pelo CNJ e tutoriado pela nossa grande Rosa Maria Alves Chichorro.
Para compensar a ausência física, interagimos, desde o início, nos conhecendo, no espaço Café com Prosa (cafezinho, tacacá, açaí, chimarrão, tapioca...).

Tacacá é um prato típico da região norte, cuja receita é:

Ingredientes da Receita de Tacacá

2 litros de tucupi
4 dentes de alho
Chicória
Alfavaca
1 colher de chá de sal
4 pimentas de cheiro
2 maços de jambu
1/2 kg de camarão salgado (seco)
1/2 xícara de goma de mandioca
Pimenta de cheiro

Como Fazer Tacacá

Modo de Preparo:
Coloque em uma panela o tucupí, tempere com alho, chicória, alfavaca e sal, leve ao fogo e deixe levantar fervura. Baixe o fogo, tampe a panela e deixe cozinhar por 30 minutos.
Cozinhe o jambu em água quente, até que os talos fiquem macios, retire, escorra e reserve.
Retire a cabeça do camarão e deixe de molho em uma vasilha com água para retirar o sal.
Ferva 4 xícaras de água com sal a gosto, dissolva a goma em uma vasilha com água fria, acrescente ao poucos na água fervendo, até ficar um mingau grosso.
Sirva em uma cuia nesta sequência: duas colher de sopa de tucupi, uma concha de goma, uma concha de tucupi, algumas folhas de jambu e 5 camarões, sal e pimenta a gosto.
Na falta da goma de mandioca pode ser usado o polvilho azedo.
Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.

Maria da Glória Perez Delgado Sanches
Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.

CAPUCCINO DE CHOCOLATE

No final de dezembro participei do curso Docência Online, pelo CNJ, tutoriado pela nossa grande (e presente, dedicada e incrível) Rosa Maria Alves Chichorro.
Para compensar a ausência física, interagimos, desde o início, nos conhecendo, no espaço Café com Prosa (cafezinho, tacacá, açaí, chimarrão, tapioca...).
É claro: aproveitando a aproximação, trocamos receitas. Uma delas, enviada pela aluna Joselaine Carvalho, do TJGO (a Josi), fez sucesso, em casa: o capuccino de chocolate. Fácil de fazer e cremoso, rende muito.

CAPUCCINO DE CHOCOLATE
1 lata de leite em pó
1/4 da lata de açúcar
100g de café solúvel em pó
2 colheres de sopa de bicarbonato de sódio
3 colheres de sopa achocolatado em pó
1 colher de sopa de canela (se gostar)

Inicialmente, despeje o leite em um refratário. Após, acrescente o café em pó e misture até ficar homogêneo. Coloque então os demais ingredientes, sempre misturando bem antes de adicionar o seguinte.
Sirva com leite ou água quente.
Rende bastante e dura meses... mas você pode dividir com a família ou amigos.

Dicas: 
1. Capuccino com amendoim torrado ou chantily fica uma delícia!!! 
2. Se estiver de dieta, utilize leite em pó desnatado e chocolate light.

Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.


Maria da Glória Perez Delgado Sanches
Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.

CACHEPOTS FEITOS COM ESTEIRINHAS DE BAMBU


Estes cachepots foram feitos com aquelas pequenas esteirinhas de bambu, utilizadas como jogos americanos.
As esteiras, se podem ser cortadas para trabalhos pequenos, como estes, podem ser usadas inteiras ou ainda emendadas. 
Se a imaginação não tem limites, o material presta-se a inúmeras adaptações: uma cortina de esteirinhas de madeira entremeada de conchas, uma parede, o tampo de uma mesinha de centro, uma luminária.
Com ou sem acabamento (verniz ou tinta), o resultado pode ser incrível, requerendo apenas um pouco de cola e criatividade.

Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.


Maria da Glória Perez Delgado Sanches
Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

FRUTEIRA FEITA COM FOLHA DE COQUEIRO

As folhas de coqueiro, na parte em que se prendem à árvore, são muito resistentes (são feitas de madeira e podem ser lavadas). 
Em geral, curvam-se, mas podem ser moldadas. Para tanto, sirva-se de água e pesos.
Esta, serrei e expus ao sol e à chuva, com um peso em cima. O mesmo resultado pode ser obtido por imersão, que transmitirá flexibilidade à folha.
Experimente e crie a sua.

Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.


Maria da Glória Perez Delgado Sanches
Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.

Exemplo a ser seguido: Prefeito de Petrópolis cancela carnaval para investir em saúde

O que é prioridade: carnaval ou saúde e educação?

As verbas estão sobrando?
Se não, cortem o supérfluo.

Rio de Janeiro - O prefeito de Petrópolis, na região serrana do Rio, Rubens Bomtempo, anunciou  que não haverá carnaval na cidade e que os repasses, no valor de R$ 1 milhão, que iriam para o desfile das escolas de samba do município, serão investidos na saúde. A decisão foi tomada durante reunião com o presidente da Fundação de Cultura e Turismo, Juvenil dos Santos, e representantes de escolas e blocos da cidade, que entenderam a situação e concordaram com a providência do governo municipal.
De acordo com o presidente da Fundação de Cultura e Turismo, estruturas como as arquibancadas, por exemplo, não serão montadas, o que não impede que os blocos que queiram sair às ruas desfilem pela Rua do Imperador.
“Não estamos cancelando o carnaval da cidade, só não iremos repassar os recursos, que serão encaminhados para um setor que está em estado de calamidade e precisa de todo o empenho e recursos financeiros. Estamos pensando no bem-estar da população. Tivemos a adesão espontânea das agremiações”, disse Santos.
Outros tradicionais eventos, como o Baile dos Fantasmas e o Banho a Fantasia, estão mantidos, assim como os bailes que ocorrem nos bairros, como Alto da Serra, Praça Pasteur e Pedro do Rio. A Matinê no Obelisco também está mantida. Para garantir a segurança dos foliões que forem para a avenida durante o carnaval acompanhar os blocos, a Guarda Municipal e as polícias Civil e Militar estarão nas ruas.
A diretora de patrimônio da Escola de Samba Independente de Petrópolis, Marilda da Silva Antunes, elogiou a medida tomada pelo prefeito Rubens Bomtempo. “A saúde do município está um caos e precisa de todo o apoio. Não é justo realizarmos uma festa, enquanto os hospitais estão sem leitos e sem remédios”.
Fonte: Agência Brasil
Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.

Maria da Glória Perez Delgado Sanches
Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

AMORES ROUBADOS: CENÁRIO DESLUMBRANTE E IDÉIAS CRIATIVAS. GOSTOU DA COBERTURA? QUE TAL FAZER UMA IGUAL?

A série, não bastassem a história e as atuações, vale pelo cenário deslumbrante e as idéias, que podem ser adaptadas às nossas necessidades.
Paredes de pedra, com ou sem cimento aparente - e se com, de maneira rústica -, diversos tipos de treliça, sem acabamento, decoração em consonância com a natureza: rústica, crua. Vasos com cactos e samambaias, pequenos ou grandes jardins.
Aqui, sirvo uma amostra: uma cobertura que permite a passagem da luz. Nos detalhes, é possível verificar que foi feita seguindo o exemplo das redes: um cordão é embutido e costurado na cobertura. Tal cordão surge, em espaços regulares, e é enlaçado por outro cordão, que o prende à estrutura.
Não é coisa do outro mundo, mas o resultado é surpreendente.





Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.


Maria da Glória Perez Delgado Sanches
Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.

Com apoio do Banco Mundial, cooperativa de iogurte muda vida de comunidade rural paulista

Com apoio do Banco Mundial, uma cooperativa de iogurte mudou a vida de produtores da zona rural de São Roque (SP). Com a assistência técnica necessária, eles ampliaram a ordenha e hoje produzem 6 mil litros de iogurte diariamente.
Os potinhos abastecem mercados e escolas, uma delas criada justamente por causa do projeto. “Com a cooperativa, conquistamos o poder de solicitar à prefeitura a construção de uma escola de ensino fundamental na zona rural de São Pedro. Sem ela, muita gente parava de estudar no 4º ano”, conta o presidente da Leite do Campo, José Lodovico Rinaldi.
Um dos 120 fornecedores da Leite do Campo, Antônio Aristeu Soares assegura que fazendo iogurte não apenas tem uma fonte regular de renda, como pode ganhar mais. “Isso me incentiva a produzir leite de melhor qualidade.”
A experiência materializa uma das principais conclusões do estudo “Leite e derivados lácteos na nutrição humana”, da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO). O estudo destaca que o iogurte no lanche escolar não só é um grande aliado para a nutrição e a saúde das crianças, como também contribui para a economia das comunidades mais pobres.
O documento afirma que a produção de leite gera mais empregos do que a agricultura: para cada 30 litros processados se cria um posto de trabalho fora das fazendas. Apesar de exigir altos investimentos, a indústria láctea “proporciona a longo prazo uma fonte de ganhos mais confiável do que a maior parte dos cultivos”, diz a pesquisa.
Segundo a FAO, nos países em desenvolvimento, 1 bilhão de pessoas vivem com o que obtêm dos produtos lácteos nas terras com ao menos um animal.
Embora não faça recomendações diretas ao Brasil, o relatório deixa claro que os países têm muito a ganhar se os pequenos criadores de gado obtiverem maior acesso ao crédito e à assistência técnica. Sem esse apoio, o leite pode estragar antes de chegar ao mercado ou ser pouco rentável.
Fonte: ONU. Blog parceiro cadastrado.

Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.


Maria da Glória Perez Delgado Sanches
Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

PÉ DE PATO, MANGALÔ TRÊS VEZES! SALVE 2014!

Jogo as sementes de mangalô, guardo a figa, bato na madeira e venha o comigo-ninguém-pode, pra mandar todo o peso de 2013 pra bem longe.
Depois do recesso e do calor de 40 graus, o ano novo. Sem feriados no segundo semestre. 
Praia, então, só nos finais de semana. 
Ainda é um privilégio poder curtir os jardins, planejar, andar na areia, molhar os pés e respirar o ar puro e úmido, que não existe em São Paulo.
Aliás, de puro sobrou apenas o ar, na praia, nesta virada de ano. O mar transparecia - podia-se ver o leito, por muito que adentrasse. Verde, azul, azul, verde, alternavam-se. Fomos contemplados por milhares de bolachas do mar, nas quais pisávamos e as quais batiam em nossas pernas. Um show!
Entretanto, com o Natal as praias foram tomadas por banhistas, turistas de poucos dias, que trouxeram seu lixo, sua música e o desencanto. Daí em diante fiquei em casa: mais seguro, limpo e tranquilo.

Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.


Maria da Glória Perez Delgado Sanches
Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

AGENDA POSITIVA: O CLAMOR DO POVO NÃO FOI EM VÃO. SERÁ?

Em junho de 2013 o povo saiu às ruas, clamando pelo fim da corrupção e da impunidade e por mais investimento na educação e na saúde.
Como resultado, foi instituída a “Agenda Positiva”: os parlamentares trabalharam, nas três primeiras semanas, de segunda à sexta-feira, e não como habitualmente, de terça a quinta.  Reuniram-se e votaram, inclusive, durante um jogo do Brasil.
Podem ser citados os seguintes exemplos:
Pela Câmara dos Deputados, o arquivamento da PEC 37, que limitaria o poder de investigação do Ministério Público; a aprovação do projeto que destina 75% dos royalties para a educação e 25% para a saúda; de nova divisão do Fundo de Participação dos Estados e da redução das alíquotas do PIS/Pasep no transporte municipal local.
Pelo Senado Federal foram aprovados o projeto que torna a corrupção crime hediondo e a nova divisão do Fundo de Participação dos Estados.
Após o recesso de julho, quase nada foi votado.
O que se tem a dizer de tudo isso?
A pressão popular impulsionou o poder público a agir. O Congresso Nacional, que apenas enxerga o povo às vésperas das eleições, sentiu-se pressionado e trabalhou.
Relaxado e esquecido o antigo clamor, “tudo como antes no quartel de Abrantes”, ou seja, não podemos reclamar, se o estado de coisas voltar ao que era.
Ao que era?

Bem, temos um saldo positivo da atuação popular. É necessário, agora, exigir a efetividade das leis.

Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.

Maria da Glória Perez Delgado Sanches
Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.

QUANDO A AUTORIZAÇÃO PARA VIAGENS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES É NECESSÁRIA?

Na hora de embarcar ou pegar a estrada, é preciso ficar atento às exigências para a viagem de crianças e adolescentes. Veja algumas informações:

        Em território nacional:
        - Adolescentes (de 12 a 17 anos, 11 meses e 29 dias de idade) não precisam de nenhuma autorização para viajar desacompanhados. As crianças (de zero a 11 meses e 29 dias de idade) também não precisam, desde que acompanhadas de guardião, tutor ou parentes, portando certidão de nascimento ou carteira de identidade para comprovação do parentesco.
        - Se não houver parentesco entre a criança e o acompanhante, este deverá apresentar a autorização escrita, assinada pelo pai ou pela mãe, pelo guardião ou tutor, com firma reconhecida por autenticidade ou semelhança.
        - Os pais das crianças devem apresentar certidão de nascimento ou carteira de identidade para comprovar a identificação do menor e a filiação. Já os adolescentes devem estar com carteira de identidade.

        Viagem para o exterior:
        - As crianças ou adolescentes (de zero a 17 anos, 11 meses e 29 dias de idade) que forem viajar desacompanhados de apenas um dos pais ou responsáveis devem levar autorização por escrito do outro. Os que viajarem acompanhados de outros adultos ou sozinhos devem levar autorização escrita do pai e da mãe ou responsáveis. Em todos os casos é indispensável o reconhecimento de firma em cartório.
        - Assim como nas viagens nacionais, os pais das crianças devem apresentar certidão de nascimento ou carteira de identidade para comprovar a identificação do menor e a filiação. Os adolescentes devem estar com carteira de identidade. Além destes documentos, em viagens internacionais os passageiros precisam do passaporte e visto válidos – se o país de destino exigir a documentação para permitir a entrada de estrangeiros.

        Quando é necessária autorização judicial:
        A autorização judicial é OBRIGATÓRIA para crianças e adolescentes (de zero a 17 anos, 11 meses e 29 dias de idade) nas seguintes hipóteses:
        - Quando um dos genitores está impossibilitado de dar a autorização, por razões como viagem, doença ou paradeiro ignorado;
        - Quando a criança ou adolescente nascido em território nacional viajar para o exterior em companhia de estrangeiro residente ou domiciliado no exterior, mesmo se houver autorização de ambos os pais;
        - Quando a criança (de zero a 11 meses e 29 dias de idade) viajar no território nacional para fora da comarca onde reside desacompanhada dos pais, do guardião ou tutor, de parente ou de pessoa autorizada.
        Atenção: nos terminais rodoviários e aeroportos do Estado de São Paulo não existem mais os postos da Vara da Infância e da Juventude (que se chamavam Juizados de Menores). Para autorização judicial no período do recesso (de 20/12/2013 a 6/1/2014), o atendimento será no plantão judiciário (veja informações sobre locais e horário de atendimento). A partir do dia 7 é preciso procurar a vara da Infância e da Juventude.

        Documentação:
        - Da autorização dos pais: a autorização de viagem emitida pelos pais precisa ter firma reconhecida (de ambos) e deve ser apresentada em duas vias originais, pois uma delas ficará retida na Polícia Federal no aeroporto de embarque. Já a autorização judicial deverá ser apresentada em única via original.
        - O que precisa constar na autorização: preencher os dados do formulário padrão que pode ser encontrado no portal do CNJ (www.cnj.com.br) e no site da Polícia Federal (www.dpf.gov.br). É necessária uma declaração para cada criança ou adolescente, em duas vias, além de firma reconhecida em cartório por autenticidade ou semelhança.

        Você encontra essas e outras informações sobre autorização de viagem de menor na página da Coordenadoria da Infância. Também no vídeo institucional sobre o tema.

        Fonte: Comunicação Social TJSP – AG (texto) / internet (imagem)

Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.

Maria da Glória Perez Delgado Sanches
Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.

CORES QUE APAGAM; CORES QUE REJUVENESCEM; CORES QUE REALÇAM. FENÔMENOS DA LUZ

Já pintou uma parede de branco e a que fica em frente a ela de outra cor? 
Tenho paredes assim, em um corredor, no jardim. Quem vê jura que a parede branca é verde. Não é. 
As cores absorvem a luz e a devolvem em forma de uma ou outra cor. O branco, na luz, dói a vista, porque tudo o que recebe devolve, como um espelho; o preto é uma cor que esquenta, porque "segura" todas as cores; o verde, por exemplo, retém as demais cores e devolve o verde.
A parede branca lança na verde a luz que recebe e a verde jorra, na branca, o verde. Assim, minha parede branca é lida como verde. Simples assim.

Cabelos, olhos e pele podem se beneficiar (ou ser prejudicados) com o mesmo fenômeno, em reflexos e contrastes.

Usar sempre algo - um grampo, uma fivela, um brinco, um lenço ou uma blusa - na cor rosa ou vermelha. 
Esta é uma das lembranças que me ficaram de um livro, lido na adolescência. A balzaquiana, que mantinha um romance com um adolescente, usava ainda outros artifícios para rejuvenescer, como o banho de imersão em uma banheira repleta de pedras de gelo.
Por muitos anos referenciei o livro Doidão, de José Mauro de Vasconcelos.
Tive uma colega que diariamente - e por todos os anos convividos - usava algum adereço em uma de tais cores. Aludi discretamente a obra e ela confirmou, com igual discrição.
Hoje, ao escrever esta postagem, reli Doidão: não é a fonte. 
Decerto minha colega teve a mesma referência, mas quis mantê-la em segredo, pois a dica fazia parte de sua maquiagem.

Loiras e amarelos
Sempre fui loira. E sempre adorei a combinação de morenas (de pele e/ou cabelos) e blusas ou vestidos amarelos. O contraste da pele ou dos cabelos gera um resultado belíssimo.
Muitas vezes comprei blusas amarelas e o resultado sempre foi o mesmo:
- Glória, você está bem? Está tão pálida...
Pois bem, se você tem um visual que se apaga com facilidade (como é o caso das loiras), fuja do amarelo e dos tons de cinza. Se você é morena ou negra, abuse! É sucesso, na certa, que não deve ser copiado por quem não pode.

Cores, contrastes e reflexos
Li o romance "Olhos azuis, cabelos pretos", de Marguerite Duras. A protagonista, logo nas páginas iniciais, referencia o contraste e a intensidade do azul, que é sempre mais azul acompanhado por cabelos pretos, o que não existe nos loiros, uma vez que o amarelo tende a emprestar seus reflexos e matizar olhos azuis, dando-lhes tons esverdeados.
Para intensificar a tonalidade dos olhos uma blusa ou adereço podem ser úteis: mel, caramelo, azul, verde, violeta. A veste ou complemento pode realçar a cor dos olhos.

Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.


Maria da Glória Perez Delgado Sanches
Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.
Ser feliz é uma opção e você é livre para viver a vida. Escolha seu sonho. Vale a pena.

QUEM SOU EU

Minha foto

Da capital, já morei entre verde e bichos, na lida com animais e plantas: anos de injeção, espinho de ouriço, berne, parto de égua e curva de nível, viveiros, mudas, onde encontrei tempo para lecionar inglês, alfabetizar adultos e ler livros, na solidão do mato. 

Paixões se sucederam e convivem até hoje: Contabilidade, Economia, Arquitetura (IMES, MACK), a chácara e, afinal, o Direito (FDSBC, cursos e pós graduações). No Judiciário desde 2005, planto, replanto, reciclo, quebro paredes, reconstruo, estudo, escrevo e poetizo, ao som de passarinhos, que cantam nossa liberdade.

Não sou da cidade, tampouco do campo. Aprendiz, tento captar o que a vida oferece, para que o amanhã seja melhor. Um mundo melhor, sempre.

Agora em uma cidade mágica, em uma casa mágica, na qual as coisas se transformam e ganham vida; mais e mais vida. Minha cidade-praia-paraíso, Itanhaém.

Nesta casa de espaços amplos e um belo quintal, que jamais é a mesma do dia anterior, do minuto anterior (pois a natureza cuida do renovar a cada instante o viço, as cores, flores, aromas e sabores) retomei o gosto pelo verde, por releituras de espaços e coisas. Nela planto o que seja bom de comer ou de ver (ou deixo plantado o que Deus me trouxe), colho, podo, cozinho os frutos da terra, preparo conservas e invento pratos de combinações inusitadas, planejo, crio, invento, pinto e bordo... sonho. As ideias brotam como os rebentos e a vida mostra-se viva, pulsante.

Aqui, em paz, retomo o fazer miniaturas, componho terrários que encantam, mensagens de carinho representadas em pequenas e delicadas obras. 

Muito prazer! Fique à vontade, passeie um pouco: questões de Direito, português, crônicas ("causos"), jardinagem e artesanato. Uma receita, uma experiência nova, um redescobrir. 

Pergunte, comente, critique, ok? A casa é sua e seu comentário será sempre bem-vindo.

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

ARQUIVO DO BLOG