PLANTANDO DÁ, SIM

RECICLAR É PRECISO

RECICLAR É PRECISO
RECICLAR É PRECISO. O MAIS, SERÁ PRECISO? Viver com alegria é viver em paz e harmonia. É olhar com a alma, observar com o coração, agir em conformidade com a natureza. Somos tanto mais necessários quanto mais úteis, em equilíbrio com o todo. Somos um; você sou eu e tudo o que o afeta, afeta a mim, também.

VOCÊ ENCONTROU O QUE QUERIA? PESQUISE. Nas guias está a matéria que interessa a você.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.
GUIAS (OU ABAS): 'este blog', 'blogs interessantes', 'só direito', 'anotações', 'anotando e pesquisando', 'mais blogs'.

VAMOS LÁ! CLIQUE PARA SEGUIR!

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Consumidores buscam a Justiça para defender seus direitos na compra de imóveis. Propaganda enganosa, atraso, dano moral, prazo para reclamar, garantia, juros no pé, pagamento de aluguéis, cláusulas abusivas, tamanho do imóvel, devolução. Taxa SATI e comissão de corretagem.

Comprar imóvel na planta não é fácil. Além da propaganda enganosa (vende-se uma coisa e entrega-se outra), do atraso na entrega das unidades e de cláusulas exorbitantes, são cobradas taxas sobre serviços inexistentes e a comissão dos vendedores contratados pela construtora. Estas duas últimas não são objeto específico da matéria, publicada em 19 de maio pelo STJ e abaixo transcrita, mas devem ser, sim, consideradas.

Veja que, ao adquirir uma unidade na planta, as construtoras cobram, em geral, uma "taxa" denominada SATI. Refere-se a suposta "assessoria jurídica", prestada ao comprador do imóvel. Ledo engano: não existe qualquer assessoria, pois, de um lado, o advogado contratado não aconselharia o comprador contra a empresa que o contratou (leia-se a construtora); de outro, é um contrato "casado", pois se o comprador não se dispuser a pagá-la, o imóvel não lhe será vendido. Simples assim. 

Se se insurgisse contra

MARCADO NA AGENDA: 15 E 16 DE JUNHO. OU: OS PRODUTOS ELETRÔNICOS NÃO SÃO MAIS CONFIÁVEIS


Com o avanço da tecnologia, seria de se esperar que os produtos eletrônicos tornar-se-iam melhores e mais confiáveis. Não é o que acontece.
Como precisássemos reparar a caixa de disjuntores, chamamos um técnico da Porto Seguros. No sábado, o rapaz fez o serviço e se foi. Algumas horas depois, meu marido liga o chuveiro e toma um banho gelado (110v: estamos no inverno!). Ele, que é tão friorento!
O técnico é mais uma vez chamado. Desta feita, enquanto examinava a fiação, um curto-circuito queimou nosso rádio-relógio e metade da casa ficou sem luz. Passam-se horas até que o defeito seja sanado.
Tínhamos um compromisso,

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.
Ser feliz é uma opção e você é livre para viver a vida. Escolha seu sonho. Vale a pena.

QUEM SOU EU

Minha foto

Da capital, já morei entre verde e bichos, na lida com animais e plantas: anos de injeção, espinho de ouriço, berne, parto de égua e curva de nível, viveiros, mudas, onde encontrei tempo para lecionar inglês, alfabetizar adultos e ler livros, na solidão do mato. 

Paixões se sucederam e convivem até hoje: Contabilidade, Economia, Arquitetura (IMES, MACK), a chácara e, afinal, o Direito (FDSBC, cursos e pós graduações). No Judiciário desde 2005, planto, replanto, reciclo, quebro paredes, reconstruo, estudo, escrevo e poetizo, ao som de passarinhos, que cantam nossa liberdade.

Não sou da cidade, tampouco do campo. Aprendiz, tento captar o que a vida oferece, para que o amanhã seja melhor. Um mundo melhor, sempre.

Agora em uma cidade mágica, em uma casa mágica, na qual as coisas se transformam e ganham vida; mais e mais vida. Minha cidade-praia-paraíso, Itanhaém.

Nesta casa de espaços amplos e um belo quintal, que jamais é a mesma do dia anterior, do minuto anterior (pois a natureza cuida do renovar a cada instante o viço, as cores, flores, aromas e sabores) retomei o gosto pelo verde, por releituras de espaços e coisas. Nela planto o que seja bom de comer ou de ver (ou deixo plantado o que Deus me trouxe), colho, podo, cozinho os frutos da terra, preparo conservas e invento pratos de combinações inusitadas, planejo, crio, invento, pinto e bordo... sonho. As ideias brotam como os rebentos e a vida mostra-se viva, pulsante.

Aqui, em paz, retomo o fazer miniaturas, componho terrários que encantam, mensagens de carinho representadas em pequenas e delicadas obras. 

Muito prazer! Fique à vontade, passeie um pouco: questões de Direito, português, crônicas ("causos"), jardinagem e artesanato. Uma receita, uma experiência nova, um redescobrir. 

Pergunte, comente, critique, ok? A casa é sua e seu comentário será sempre bem-vindo.

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

ARQUIVO DO BLOG