PLANTANDO DÁ, SIM

RECICLAR É PRECISO

RECICLAR É PRECISO
RECICLAR É PRECISO. O MAIS, SERÁ PRECISO? Viver com alegria é viver em paz e harmonia. É olhar com a alma, observar com o coração, agir em conformidade com a natureza. Somos tanto mais necessários quanto mais úteis, em equilíbrio com o todo. Somos um; você sou eu e tudo o que o afeta, afeta a mim, também.

VOCÊ ENCONTROU O QUE QUERIA? PESQUISE. Nas guias está a matéria que interessa a você.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.
GUIAS (OU ABAS): 'este blog', 'blogs interessantes', 'só direito', 'anotações', 'anotando e pesquisando', 'mais blogs'.

VAMOS LÁ! CLIQUE PARA SEGUIR!

quinta-feira, 30 de junho de 2016

ACORDE PARA A VIDA. SINTA, DESPERTE E LEVE CONSIGO O NECESSÁRIO PARA UM BOM DIA. O homem cinza e o homem de luz.


Acorde devagar. Espreguice-se, alongando e sentindo os músculos, revivendo seu corpo. 


Respire profundamente, bem devagar. 
Imagine a vida fluir e a energia circular sem traves, sem entraves, sem barreiras.
Imagine um cenário tranquilo: lago, sol, montanha ou praia: o beijar dos raios iluminados, o refluir das ondas, a relva acariciada pelo vento. Ouça o mar, o vento, ouça sua respiração.
Se tiver alguém ao lado, envolva-o em um abraço apenas com seu olhar: lerdo, preguiçoso, carinhoso. Como uma bênção.
Olhe ao seu redor e relembre histórias guardadas com os objetos que...

segunda-feira, 27 de junho de 2016

HOJE NÃO É UM DIA COMO OS OUTROS. DEPENDE DE MIM.

Hoje não é um dia como os outros. Não há de ser.
Acordei com o propósito de torná-lo especial, desde o despertar, mais lânguido, lento e sonhador, despertar espreguiçado e terno, vez que a noite, regada a vinho e queijo, com o marido-namorado-amigo-de-toda-a-vida, embalou...

sábado, 25 de junho de 2016

PALMITO: RISCO DE BOTULISMO OU "AÇAÍ" E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Comentei, há dias, sobre a exploração sustentável do "açaí de juçara".
Até hoje há muitas empresas clandestinas de palmito, que trabalham sem qualquer higiene: além de eliminarem árvores, que levaram muitos anos para chegar à idade adulta, oferecem o risco de contaminação por botulismo, uma doença terrível. 
A melhor alternativa para o juçara (o tradicional palmito, gordo e delicioso) é o...

quarta-feira, 22 de junho de 2016

AJA, ACREDITE E TENHA PACIÊNCIA. E UM LINDO DIA!!!!


      Pense nisso: "Você nunca sabe que resultados virão de sua ação. Mas se você não fizer nada, não existirão resultados".

     A frase, atribuída a Mahatma Gandhi, é bem servida nos dias de hoje, em um cenário de crise e frustração com o cenário político e econômico.
     Agora, no inverno, bem podemos sentir o viço e a energia das plantas contidos nas raízes, à espera do sol de primavera para que tudo...

sexta-feira, 17 de junho de 2016

AÇAÍ DE JUÇARA: A MELHOR ALTERNATIVA AO PALMITO. Você sabia que para se extrair palmito a árvore tem que morrer?

Não como mais palmito. Não que não goste, pois adoro (em especial o juçara), mas porque para cada palmito na mesa (ou no pote do supermercado) é preciso derrubar uma árvore. 
O juçara (que é o mais saboroso) leva dez anos para produzir e é comum ser extraído da mata, clandestinamente.  
Não vou morrer se não comer palmito. Em compensação, descobri que a palmeira juçara (que como todas as palmeiras  morre para que saboreemos seu palmito) pode fornecer açaí.
Peraí: açaí de juçara?
Parece uma incongruência, e é: açaí é o nome de uma...

quarta-feira, 15 de junho de 2016

O QUE VOCÊ FAZ PARA DRIBLAR O FRIO? Tem um segredinho?

A coisa é séria:  duas meias (uma de jogador), calça de moletom, camisola flanelada, um cobertor, dois edredons... e frio.
Até ontem, a hora de me trocar era um suplício. Tirar as roupas quentinhas, aquecidas pelo corpo, e colocar outras, geladas, parecia até castigo. 
Cheguei a usar o secador de cabelos para aquentar a muda de roupas e a coisa não melhorou tanto assim, pois o calor se esvaia antes da troca. O que fazer?
Secador de cabelos, bolsa de água quente, saco, tijolo, pedra, aquecedor... são tantas as...

terça-feira, 14 de junho de 2016

JUSTIÇA E CIDADANIA SE APRENDE NA ESCOLA. Obtenha a cartilha no site e peça apoio ao tribunal

Criança que brinca de fazer Justiça aprende que Justiça não é brincadeira.
Vários juízes apoiam a iniciativa de ministrar aulas de cidadania para crianças e adolescentes em escolas públicas ou particulares.
A cartilha está disponível no...

DOE SANGUE. DOE VIDA E SALVE VIDAS. Um gesto de amor ao próximo. A posição do estoque é crítica.

Em Orlando, mal divulgado o episódio do ataque na boate gay Pulse, a população correu a doar sangue, mobilizada. Os bancos ficaram abarrotados.
Aqui, os estoques dos bancos de sangue estão baixíssimos, em especial os dos tipos sanguíneos O+ e O-. Não bastasse os impedimentos temporários (se você fez tatuagem ou maquiagem definitiva, por exemplo) e o frio (ao menos nos estados do sul e sudeste), não temos o costume de doar uns poucos minutos e um pouco de vida ao próximo neste gesto de amor tão necessário.
Informe-se e dirija-se a um dos postos de coleta do material.
Se for mais fácil, você pode organizar uma coleta externa na empresa em que trabalha, na universidade em que estuda ou, mesmo, em...

segunda-feira, 13 de junho de 2016

APADRINHAMENTO AFETIVO: COMO DAR CARINHO ÀQUELES QUE JAMAIS SERÃO ADOTADOS

     É muito fácil tecer considerações quando não se vivencia o problema.  
     Crianças e adolescentes que jamais cometeram qualquer crime vivem em abrigos, sem desenvolver laços de afeto e convivência familiar. São os órfãos da sociedade, que têm possibilidades remotas de adoção.
     Ser madrinha ou padrinho é a oportunidade de se envolver com um menor, em uma experiência de apoio e afeto, sem qualquer vínculo jurídico, possibilitando a esses jovens a construção de vínculos fora da instituição em...

sexta-feira, 10 de junho de 2016

CARAXINGUI, O ARBUSTO DOS PASSARINHOS


     Afinal descobri o nome das frutas pretas e pequeninas que atraem o tiê-sangue, passarinho vermelho metálico, atração viva de meu jardim e símbolo da Mata Atlântica, conhecido, também, pelos nomes canário-baeta, sangue-de-boi, tapiranga, tié-fogo, tié-piranga, tié-sangue, tié-vermelho ou,...

sábado, 4 de junho de 2016

O CAMINHO DA FELICIDADE: A RESPOSTA ESTÁ NO OTIMISMO. FAÇA ESTE EXERCÍCIO E GARANTO QUE SUA VIDA VAI MUDAR.

Há quem torça o nariz, já pelo título: autoajuda? 
Não, definitivamente este não é um guia de autoajuda. Se você é uma dessas pessoas, arrume seu nariz. 

Será que você nunca conheceu ninguém com depressão (nem passou por isso), foi traído por alguém em quem confiava nem lhe faltou quem amava ou ainda jamais ficou desempregado?

Será que nunca passou por uma grande frustração, que...

quinta-feira, 2 de junho de 2016

DOCES DE ABÓBORA: EM PEDAÇOS, DURINHO POR FORA, MACIO POR DENTRO; EM PASTA, EM CALDA. Receita do doce verdadeiro e suas variações


Já falei sobre doces de abóbora aqui, quando fiz um doce em pasta (DOCES DE ABÓBORA: EM PASTA, EM PEDAÇOS, PEDRA E CAL. Receitas e dicas). 
Agora o assunto é pedra e cal, como minha mãe o chamava.
É doce difícil de encontrar nas cidades, hoje em dia. 
Doce caipira, próprio de cidades do interior, onde há abastança de gêneros.
Minha mãe fez uma vez, quando eu era criança, e nunca mais: "Dá muito trabalho!"
Cheguei a encontrá-lo na feira e no mercado municipal, entre as frutas cristalizadas. Caro.
Procurei a receita na internet. Muita farsa: não basta a cal. O processo para fazer o doce leva dias: é uma conserva, não uma compota escorrida.
Depois de muito pesquisar, quem me deu as dicas (passadas há muito tempo pela minha mãe) foi o ABC da Agricultura Familiar - Conservas Caseiras de Frutas da Embrapa.
É meio genérico, mas o conceito está lá: as caldas, os pontos, as conservas, observações.
Mãos à obra, é lógico que deu certo e ficou delicioso: é o doce que mais gosto e não admitiria errar.
Em primeiro lugar, a abóbora. A minha foi colhida do quintal: orgânica, natural, uma beleza! 
Faltava a cal, mas o marido ficou de comprar. 
Um dia, outro, em todos ele me cobrava o doce (em pasta, em pedaços, qualquer um) mas não me trazia a cal. 

Primeiro, o doce em pedaços - para isso, a cal -, depois, o doce em pasta. Sem cal, sem doce. Você vai entender que faz sentido.
Bom, a Nice e o Welington vieram na quinta-feira (final de semana prolongado com o feriado de Corpus Christi) e nada de doce. Nem começado. Sem cal, sem doce.
Dei um pedaço da abóbora para a Nice levar para casa e mais tarde eles experimentam. Por ora, deixo receita e fotos. Paciência. 
Vamos lá. Como falei, primeiro a abóbora, que já apresentei. 
Separei um pedaço para a Nice, outro para fazer em pasta e uns 6 ou 7 quilos (depois de limpo) para o doce em pedaços.

DOCE DE ABÓBORA EM PEDAÇOS
INGREDIENTES
- abóbora em pedaços pequenos
- a mesma medida de açúcar cristal para a calda
- cal virgem
- água
- açúcar cristal para passar os pedaços
Descasquei e cortei a abóbora em pedaços não muito grandes. 
A casca foi adubar a horta e o jardim e as sementes reservei para torrar com sal. 
Agora entra em cena a cal.
Ela é comprada em casas de material de construção: não é a cal comum, mas cal virgem.
Quando o Roberto foi comprar, o balconista perguntou se era para (ou contra?) carrapato ou para doce. É a cal virgem para fazer doce. Baratinha, pode ficar guardada e dura para várias receitas.
Dissolva a cal (na proporção de uma colher (de sopa) para cada litro de água e cubra os pedaços de abóbora.
Em geral, os pedaços ficam de molho por, ao menos, 2 horas; o manual da Embrapa sugere 10 minutos e há quem prefira reservá-las por uma noite.
Optei pelo molho durante a noite.
De manhã lavei bem os pedaços com bastante água e furei cada um com garfo.
Coloquei os pedaços em uma panela, cobri com água, acrescentei 2/3 do açúcar necessário para a calda e levei ao fogo. Fervura de 1/2 hora (conta-se o tempo a partir da fervura). 
À noite, acrescentei mais açúcar, verifiquei o nível da água e fervi mais 1/2 hora. Repeti o processo na noite seguinte.

Os pedaços permanecem de molho na calda desde o início até o final do processo. 
Na manhã seguinte escorri os pedaços em uma peneira e passei pelo açúcar cristal.
Reserve a calda. Com ela você faz o doce em pasta.
É então  o momento de secar o doce. Ele deve ser posto para secar ao sol, protegido de insetos e de poeira, de 2 a 5 dias. 
Como assim? 
Depende da umidade do ar, do tamanho dos pedaços, se você tem uma secadora de frutas e legumes, de quanto vai secar.
O tempo estava horrível (chuvoso, por dias) e não tenho secadora de frutas (ainda vou fazer uma). E agora?
"Você inventa o doce e não dá para terminar."
A opção foi improvisar: sequei o doce na geladeira. Qualquer coisa na geladeira, se não a cobrirmos, seca, ok?
Lavei a gavetona de legumes, forrei com toalhas de papel e nela dispus os pedaços.   
Deu certo.  Não ficou, assim, uma Brastemp, ou seja, as características do doce secado ao sol ou na geladeira são diferentes. Não é o doce original, que tanto adoro. A diferença é sutil, mas quem conhece, percebe. 
De todo modo, quebra o galho, uma vez que faz tanto frio e choveu muito nos dias que preparei o doce. 
Vantagem: 
Você não precisa "cuidar" do tempo. Com sol ou chuva, o doce está lá, secando.
Desvantagem:
O problema é que aquilo que passou pela geladeira nela deve ficar guardado. Significa que, por mais gostoso que esteja o doce ele não se conservará por um ano, fora da geladeira, como se eu o tivesse secado ao sol. 
É delicioso, embora não se possa comparar com o secado ao sol.

DOCE DE ABÓBORA EM PASTA
Primeira opção:
Cozinhe os pedaços de abóbora com água. 
Quando estiverem amolecidos, amasse com um garfo.
Leve ao fogo com a calda reservada (ou açúcar) e cozinhe até que desgrude do fundo da panela.
Ponto do doce: ele desgruda, quando se passa a colher de pau, mas volta a cobrir o fundo.
Para o doce em pedaços, o ponto se alcança quando o doce se desprende e deixa o fundo descoberto (não volta).
Se quiser, pode acrescentar coco ralado, cravo e pedaços de canela em pau.
Segunda opção:
Cozinhe os pedaços de abóbora na calda, até que dissolvam. 

VARIAÇÕES DO DOCE EM PEDAÇOS
Compota: 
Basta não escorrer. Guarde os pedaços na própria calda.
Seco:
Você pode cozinhar apenas uma vez, escorrer, passar os pedaços pelo açúcar e guardá-los em geladeira. 
Não é uma conserva, mas um doce.
É o que mais vi na internet.
Rale a abóbora, ao invés de cortar em pedaços, deixe de molho na cal e cozinhe em uma calda mais grossa até que fique transparente.

SEMENTES DE ABÓBORA
Basta adicionar sal e torrá-las na frigideira ou no forno.
Depois de esfriar é só guardar em um pote.
Dura bastante e é um ótimo petisco.

DOCE DE MAMÃO 
A técnica é a mesma: o mamão deve estar verde e deve ser cozido até que fique transparente.
É uma delícia em pasta enroladinho.
Enroladinho é um jeito bem legal de fazer o doce: corte tiras bem finas com o descascador, faça rolinhos, amarre-os com linha e cozinhe.
Pode ou não usar a cal. A opção é sua.

OBSERVAÇÃO: A CAL
Há diversas fontes afirmando que a cal na alimentação ajuda na absorção de cálcio. Não confirmei a informação em um site de pesquisa técnica, mas pelo sim, pelo não, é o de menos. 
A abóbora é um excelente alimento, rico em vitaminas, e os doces são deliciosos. 

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Respeite o direito autoral.
Gostou? Há mais postagens que talvez interessem a você. Faça uma visita. É só acessar:
e os mais, na coluna ao lado. Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.
Um abraço!
Thanks for the comment. Feel free to comment, ask questions or criticize. A great day and a great week! 

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches

quarta-feira, 1 de junho de 2016

O PARALELO ENTRE A MÁFIA ITALIANA, A DELAÇÃO PREMIADA E A MÁFIA DOS CORRUPTOS BRASILEIROS

O TJSP disponibilizou, ontem, um artigo do Juiz Sérgio Moro, no qual ele tece, resumidamente, comentários sobre a máfia italiana (a Cosa Nostra siciliana) e como a justiça conseguiu desmantelar a organização com a delação premiada.
A corrupção sistêmica tanto estava instalada no país europeu, na época, como hoje, no Brasil.
Lá, foram condenados 344 mafiosos; aqui, espera-se que o Judiciário siga adiante, doa a quem doer.
Afinal, jamais o público e o privado se confundiram em um jogo tão...

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.
Ser feliz é uma opção e você é livre para viver a vida. Escolha seu sonho. Vale a pena.

QUEM SOU EU

Minha foto

Da capital, já morei entre verde e bichos, na lida com animais e plantas: anos de injeção, espinho de ouriço, berne, parto de égua e curva de nível, viveiros, mudas, onde encontrei tempo para lecionar inglês, alfabetizar adultos e ler livros, na solidão do mato. 

Paixões se sucederam e convivem até hoje: Contabilidade, Economia, Arquitetura (IMES, MACK), a chácara e, afinal, o Direito (FDSBC, cursos e pós graduações). No Judiciário desde 2005, planto, replanto, reciclo, quebro paredes, reconstruo, estudo, escrevo e poetizo, ao som de passarinhos, que cantam nossa liberdade.

Não sou da cidade, tampouco do campo. Aprendiz, tento captar o que a vida oferece, para que o amanhã seja melhor. Um mundo melhor, sempre.

Agora em uma cidade mágica, em uma casa mágica, na qual as coisas se transformam e ganham vida; mais e mais vida. Minha cidade-praia-paraíso, Itanhaém.

Nesta casa de espaços amplos e um belo quintal, que jamais é a mesma do dia anterior, do minuto anterior (pois a natureza cuida do renovar a cada instante o viço, as cores, flores, aromas e sabores) retomei o gosto pelo verde, por releituras de espaços e coisas. Nela planto o que seja bom de comer ou de ver (ou deixo plantado o que Deus me trouxe), colho, podo, cozinho os frutos da terra, preparo conservas e invento pratos de combinações inusitadas, planejo, crio, invento, pinto e bordo... sonho. As ideias brotam como os rebentos e a vida mostra-se viva, pulsante.

Aqui, em paz, retomo o fazer miniaturas, componho terrários que encantam, mensagens de carinho representadas em pequenas e delicadas obras. 

Muito prazer! Fique à vontade, passeie um pouco: questões de Direito, português, crônicas ("causos"), jardinagem e artesanato. Uma receita, uma experiência nova, um redescobrir. 

Pergunte, comente, critique, ok? A casa é sua e seu comentário será sempre bem-vindo.

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

ARQUIVO DO BLOG