PLANTANDO DÁ, SIM

RECICLAR É PRECISO

RECICLAR É PRECISO
RECICLAR É PRECISO. O MAIS, SERÁ PRECISO? Viver com alegria é viver em paz e harmonia. É olhar com a alma, observar com o coração, agir em conformidade com a natureza. Somos tanto mais necessários quanto mais úteis, em equilíbrio com o todo. Somos um; você sou eu e tudo o que o afeta, afeta a mim, também.

VOCÊ ENCONTROU O QUE QUERIA? PESQUISE. Nas guias está a matéria que interessa a você.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.
GUIAS (OU ABAS): 'este blog', 'blogs interessantes', 'só direito', 'anotações', 'anotando e pesquisando', 'mais blogs'.

VAMOS LÁ! CLIQUE PARA SEGUIR!

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

QUE A SUA FÉ O PROTEJA. QUE OS OBSTÁCULOS SEJAM VENCIDOS. QUE O MUNDO RESPONDA POSITIVAMENTE.

Há diversas maneiras de acreditar, 
Mesmo que seja negando.
Se você crê no infinito, 
Na luz, na prece, 
Na mãe ou no pai, 
Em uma entidade, 
Na santidade.
Se você tem fé 
Em um mundo melhor 
E está disposto a participar 
Da transformação
Siga em frente. 
Somos todos irmãos.

Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.

Maria da Glória Perez Delgado Sanches
Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.

SEM TESTEMUNHAS. VOCÊ ASSUMIRIA?

Na "volta à civilização", em 2003, uma imprudência: eu e meu marido saíamos da padaria e nosso carro raspou a porta do automóvel vizinho. Nenhuma câmara, nenhuma testemunha. Com pressa, prendemos um cartão no limpador de para-brisas, no qual anotamos um pequeno recado: pedimos desculpas e que fôssemos contatados. Prejuízo: R$ 500,00.

Em um estacionamento fechado, outro motorista "rala" o veículo a seu lado. Também não há registro ou testemunhas do acontecido. O dono do estabelecimento assumiu o pagamento de metade do valor orçado e da outra parte encarregaram-se a dona do automóvel envolvido no acidente e seu filho. Detalhe: moram a quilômetros de distância, no belo município de Ilhabela. A princípio, nada ligaria o autor ao ilícito. 

É comum causar prejuízo a terceiros e não assumir a responsabilidade. A despeito do comportamento individual reprovável - e generalizado -, reclamamos da impunidade: de políticos, de terceiros, do vizinho. Não percebemos nosso telhado, que é tão fraquinho. Uma casca de ovo.

Tudo o que fazemos voltar-se-á contra nós ou a nosso favor. Não é afirmar que "os bons vencerão" ou crer em histórias da carochinha. Seria hipocrisia. É apenas a lei de causa e efeito. Em tudo há equilíbrio e nós tentamos não enxergá-lo. A natureza é equilíbrio. Protestamos contra o excesso de frio ou de calor, porque a terra não mais produz, o ar tornou-se irrespirável e a chuva, ácida. Esquecemos que a natureza age segundo o princípio da causalidade. E que integramos a natureza. Tudo é um.

Se não houver testemunhas do ato ilícito, você reconhece seu erro e assume a culpa?

Seja leal. Respeite os direitos autorais: se reproduzir, cite a fonte.

Conheça mais. Faça uma visita aos blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, dúvidas sobre Português, poemas e crônicas ("causos"): https://plus.google.com/100044718118725455450/about.
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.

Maria da Glória Perez Delgado Sanches
Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.





DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.
Ser feliz é uma opção e você é livre para viver a vida. Escolha seu sonho. Vale a pena.

QUEM SOU EU

Minha foto

Da capital, já morei entre verde e bichos, na lida com animais e plantas: anos de injeção, espinho de ouriço, berne, parto de égua e curva de nível, viveiros, mudas, onde encontrei tempo para lecionar inglês, alfabetizar adultos e ler livros, na solidão do mato. 

Paixões se sucederam e convivem até hoje: Contabilidade, Economia, Arquitetura (IMES, MACK), a chácara e, afinal, o Direito (FDSBC, cursos e pós graduações). No Judiciário desde 2005, planto, replanto, reciclo, quebro paredes, reconstruo, estudo, escrevo e poetizo, ao som de passarinhos, que cantam nossa liberdade.

Não sou da cidade, tampouco do campo. Aprendiz, tento captar o que a vida oferece, para que o amanhã seja melhor. Um mundo melhor, sempre.

Agora em uma cidade mágica, em uma casa mágica, na qual as coisas se transformam e ganham vida; mais e mais vida. Minha cidade-praia-paraíso, Itanhaém.

Nesta casa de espaços amplos e um belo quintal, que jamais é a mesma do dia anterior, do minuto anterior (pois a natureza cuida do renovar a cada instante o viço, as cores, flores, aromas e sabores) retomei o gosto pelo verde, por releituras de espaços e coisas. Nela planto o que seja bom de comer ou de ver (ou deixo plantado o que Deus me trouxe), colho, podo, cozinho os frutos da terra, preparo conservas e invento pratos de combinações inusitadas, planejo, crio, invento, pinto e bordo... sonho. As ideias brotam como os rebentos e a vida mostra-se viva, pulsante.

Aqui, em paz, retomo o fazer miniaturas, componho terrários que encantam, mensagens de carinho representadas em pequenas e delicadas obras. 

Muito prazer! Fique à vontade, passeie um pouco: questões de Direito, português, crônicas ("causos"), jardinagem e artesanato. Uma receita, uma experiência nova, um redescobrir. 

Pergunte, comente, critique, ok? A casa é sua e seu comentário será sempre bem-vindo.

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

ARQUIVO DO BLOG