PLANTANDO DÁ, SIM

RECICLAR É PRECISO

RECICLAR É PRECISO
RECICLAR É PRECISO. O MAIS, SERÁ PRECISO? Viver com alegria é viver em paz e harmonia. É olhar com a alma, observar com o coração, agir em conformidade com a natureza. Somos tanto mais necessários quanto mais úteis, em equilíbrio com o todo. Somos um; você sou eu e tudo o que o afeta, afeta a mim, também.

VOCÊ ENCONTROU O QUE QUERIA? PESQUISE. Nas guias está a matéria que interessa a você.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.
GUIAS (OU ABAS): 'este blog', 'blogs interessantes', 'só direito', 'anotações', 'anotando e pesquisando', 'mais blogs'.

VAMOS LÁ! CLIQUE PARA SEGUIR!

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

ESPECIALISTAS DA USP DESMENTEM BOATOS SOBRE O ZIKA VIRUS

Informações equivocadas têm circulado na internet e aplicativos de celular associando o zika vírus a doenças neurológicas que acometem idosos e crianças, à vacina da rubéola e ao mosquito transgênico vêm causando ansiedade e até pânico. Especialistas da USP reforçam a importância de se informar por meio de fontes seguras e buscam tranquilizar a população sobre os boatos, que cresceram após o surto de microcefalia no Nordeste brasileiro, com alguns casos sendo atribuídos ao zika vírus pelo... (clique em "mais informações" para ler mais)
Ministério da Saúde.Veja, a seguir, os esclarecimentos dos especialistas.
Mosquitos modificados em laboratórios
O boato: O zika vírus teria aumentado sua incidência em vários Estados brasileiros após a soltura de mosquitos transgênicos criados em laboratórios de pesquisa.
A verdade: Segundo o entomologista Paulo Roberto Urbinatti, do Departamento de Epidemiologia da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP, não existe nenhuma pesquisa científica comprovando a associação dos mosquitos geneticamente modificados com os casos de microcefalia. Contrariamente aos boatos que correm na internet, Urbinatti reforça que os mosquitos transgênicos foram criados para combater o Aedes aegypti. Em cidades pequenas onde eles foram soltos na natureza, como Juazeiro, no interior da Bahia, houve o controle do vetor e, consequentemente, da transmissão da doença.
Embora defenda o uso da tecnologia para o combate aos mosquitos, Urbinatti aposta como medida mais eficaz ações educacionais e preventivas para conscientizar a população quanto à eliminação de possíveis criadouros em suas casas e locais de trabalho. As políticas públicas deveriam ser permanentes e não se restringir apenas ao período do verão, quando as temperaturas aumentam e as chuvas acontecem abundantemente.
Vacina da rubéola vencida e microcefalia
O boato: Um lote vencido de vacinas contra a rubéola teria sido aplicado em gestantes, o que teria ocasionado microcefalias nos bebês dessas mulheres.
A verdade: A vacina da rubéola é contra indicada às mulheres grávidas, sendo aplicada apenas em crianças aos 15 meses de vida e em mulheres em idade fértil, com a recomendação de que não engravidem nos 30 dias posteriores à vacinação. A orientação é da enfermeira obstétrica sanitarista Maria Cristina Bernat, do Centro de Saúde Escola Geraldo de Paula Souza da FSP, que procura tranquilizar suas pacientes que trazem preocupações improcedentes para o consultório.
Na opinião de Maria Cristina,a celeuma na internet acontece por falta de conhecimento e porque as pessoas não buscam fontes seguras para obtê-lo.
A rubéola oferece maior risco aos bebês de gestantes infectadas pela doença no primeiro trimestre de gravidez porque a mãe pode desenvolver a síndrome de rubéola congênita, ou seja, ela poderá transmitir a doença ao feto. Ele possivelmente terá malformações que vão desde microcefalia, glaucoma congênito, retardo mental e surdez, até o óbito.
Problemas neurológicos em crianças e idosos
O boato: O zika vírus poderia provocar danos neurológicos em crianças de até 7 anos e em idosos– e quem contraísse o vírus poderia apresentar a síndrome de Guillain-Barré.
A verdade: O zika vírus pode, sim, ter associação com o aumento da síndrome de Guillain-Barréno Nordeste brasileiro; porém,ainda não existe confirmação científica.Também não há ligação do problema com uma faixa etária em especial, podendo atingir adultos e crianças.
Marcos Boulos, coordenador de Controle de Doenças da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo e infectologista aposentado da Faculdade de Medicina (FMUSP) da USP,explica que as pessoas passaram a acreditar nessa ligação porque surgiram mais casos de Guillain-Barré no mesmo período em que cresceu a epidemiado zika vírus.Segundo o pesquisador, essa conexão poderia ser feita porque certas enfermidades de comprometimento neurológico estão ligadas a vírus e bactérias em geral.
Fonte: Jornal da USP 
Texto de Ivanir Ferreira
Respeite o direito autoral.
Gostou? Faça uma visita aos blogs. É só clicar nos links:
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.
Um abraço!
Thanks for the comment. Feel free to comment, ask questions or criticize. A great day and a great week! 
Maria da Glória Perez Delgado Sanches

misleading information has been circulating on the Internet and mobile applications associating zika virus neurological diseases that affect the elderly and children, the rubella vaccine and transgenic mosquitoes
información engañosa ha estado circulando en Internet y las aplicaciones móvilesque asocian enfermedades neurológicas virus Zika que afectan a las personas mayores y los niños, la vacuna contra la rubéola y mosquitos transgénicos
Postar um comentário

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.
Ser feliz é uma opção e você é livre para viver a vida. Escolha seu sonho. Vale a pena.

QUEM SOU EU

Minha foto

Da capital, já morei entre verde e bichos, na lida com animais e plantas: anos de injeção, espinho de ouriço, berne, parto de égua e curva de nível, viveiros, mudas, onde encontrei tempo para lecionar inglês, alfabetizar adultos e ler livros, na solidão do mato. 

Paixões se sucederam e convivem até hoje: Contabilidade, Economia, Arquitetura (IMES, MACK), a chácara e, afinal, o Direito (FDSBC, cursos e pós graduações). No Judiciário desde 2005, planto, replanto, reciclo, quebro paredes, reconstruo, estudo, escrevo e poetizo, ao som de passarinhos, que cantam nossa liberdade.

Não sou da cidade, tampouco do campo. Aprendiz, tento captar o que a vida oferece, para que o amanhã seja melhor. Um mundo melhor, sempre.

Agora em uma cidade mágica, em uma casa mágica, na qual as coisas se transformam e ganham vida; mais e mais vida. Minha cidade-praia-paraíso, Itanhaém.

Nesta casa de espaços amplos e um belo quintal, que jamais é a mesma do dia anterior, do minuto anterior (pois a natureza cuida do renovar a cada instante o viço, as cores, flores, aromas e sabores) retomei o gosto pelo verde, por releituras de espaços e coisas. Nela planto o que seja bom de comer ou de ver (ou deixo plantado o que Deus me trouxe), colho, podo, cozinho os frutos da terra, preparo conservas e invento pratos de combinações inusitadas, planejo, crio, invento, pinto e bordo... sonho. As ideias brotam como os rebentos e a vida mostra-se viva, pulsante.

Aqui, em paz, retomo o fazer miniaturas, componho terrários que encantam, mensagens de carinho representadas em pequenas e delicadas obras. 

Muito prazer! Fique à vontade, passeie um pouco: questões de Direito, português, crônicas ("causos"), jardinagem e artesanato. Uma receita, uma experiência nova, um redescobrir. 

Pergunte, comente, critique, ok? A casa é sua e seu comentário será sempre bem-vindo.

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

ARQUIVO DO BLOG