PLANTANDO DÁ, SIM

RECICLAR É PRECISO

RECICLAR É PRECISO
RECICLAR É PRECISO. O MAIS, SERÁ PRECISO? Viver com alegria é viver em paz e harmonia. É olhar com a alma, observar com o coração, agir em conformidade com a natureza. Somos tanto mais necessários quanto mais úteis, em equilíbrio com o todo. Somos um; você sou eu e tudo o que o afeta, afeta a mim, também.

VOCÊ ENCONTROU O QUE QUERIA? PESQUISE. Nas guias está a matéria que interessa a você.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.
GUIAS (OU ABAS): 'este blog', 'blogs interessantes', 'só direito', 'anotações', 'anotando e pesquisando', 'mais blogs'.

VAMOS LÁ! CLIQUE PARA SEGUIR!

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

OMS/OPAS revela que mortalidade infantil na América Latina e Caribe foi reduzida em mais da metade em 20 anos


A taxa média de mortalidade de crianças menores de cinco anos na América Latina e no Caribe entre 1990 e 2010 foi reduzida de 54 para 23 mortes por cada mil nascidas vivas. Isso representou uma diminuição média anual de 4,3% de mortalidade em crianças menores de 5 anos na região. Se esta tendência continuar,...
a região vai atingir a meta dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) de reduzir em dois terços a mortalidade de crianças menores de 5 anos até 2015.
Apesar das boas notícias, ainda existem muitas disparidades entre os países da região e às vezes até mesmo dentro dos mesmos, afirmou a Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS). No entanto, as médias regionais de mortalidade de crianças menores de 5 anos escondem as disparidades entre os países e até mesmo dentro do mesmo país. Por exemplo, em 2011, o Haiti e a Bolívia apresentaram taxas de mortalidade de crianças menores de 5 anos de 87 e 51 óbitos por mil nascidos vivos, respectivamente, em comparação com 19 na Colômbia, 8 no Chile e 6 em Cuba.
A maioria dessas mortes são evitáveis. Em países com elevada mortalidade, algumas intervenções de alto impacto e de baixo custo, pode reduzir o número de mortes por mais de 50%, mas essas intervenções não alcançam todos.
Além disso, embora a prevalência da desnutrição na região seja baixa, a desnutrição crônica ainda é um dos problemas mais comuns de crescimento na América Latina e no Caribe, com quase 9 milhões de crianças que sofrem desta doença. A obesidade infantil é também um dos mais complexos desafios enfrentados saúde pública em vários países. Além disso, cerca de 22,5 milhões de crianças têm anemia.
As autoridades de saúde nas Américas aprovaram em setembro deste ano uma estratégia e um plano de ação para a saúde na infância, que busca melhorar a saúde e reduzir a mortalidade infantil através de uma abordagem abrangente e multissetorial para a saúde com base nos direitos e determinantes sociais da saúde.
Fonte: ONU
Blog parceiro, cadastrado
Conheça mais. Faça uma visita blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, português, poemas e crônicas ("causos"): http://www.blogger.com/profile/14087164358419572567
Pergunte, comente, questione, critique.
Terei muito prazer em recebê-lo.
Thanks for the comment. Feel free to comment, ask questions or criticize. A great day and a great week!
Postar um comentário

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.
Ser feliz é uma opção e você é livre para viver a vida. Escolha seu sonho. Vale a pena.

QUEM SOU EU

Minha foto

Da capital, já morei entre verde e bichos, na lida com animais e plantas: anos de injeção, espinho de ouriço, berne, parto de égua e curva de nível, viveiros, mudas, onde encontrei tempo para lecionar inglês, alfabetizar adultos e ler livros, na solidão do mato. 

Paixões se sucederam e convivem até hoje: Contabilidade, Economia, Arquitetura (IMES, MACK), a chácara e, afinal, o Direito (FDSBC, cursos e pós graduações). No Judiciário desde 2005, planto, replanto, reciclo, quebro paredes, reconstruo, estudo, escrevo e poetizo, ao som de passarinhos, que cantam nossa liberdade.

Não sou da cidade, tampouco do campo. Aprendiz, tento captar o que a vida oferece, para que o amanhã seja melhor. Um mundo melhor, sempre.

Agora em uma cidade mágica, em uma casa mágica, na qual as coisas se transformam e ganham vida; mais e mais vida. Minha cidade-praia-paraíso, Itanhaém.

Nesta casa de espaços amplos e um belo quintal, que jamais é a mesma do dia anterior, do minuto anterior (pois a natureza cuida do renovar a cada instante o viço, as cores, flores, aromas e sabores) retomei o gosto pelo verde, por releituras de espaços e coisas. Nela planto o que seja bom de comer ou de ver (ou deixo plantado o que Deus me trouxe), colho, podo, cozinho os frutos da terra, preparo conservas e invento pratos de combinações inusitadas, planejo, crio, invento, pinto e bordo... sonho. As ideias brotam como os rebentos e a vida mostra-se viva, pulsante.

Aqui, em paz, retomo o fazer miniaturas, componho terrários que encantam, mensagens de carinho representadas em pequenas e delicadas obras. 

Muito prazer! Fique à vontade, passeie um pouco: questões de Direito, português, crônicas ("causos"), jardinagem e artesanato. Uma receita, uma experiência nova, um redescobrir. 

Pergunte, comente, critique, ok? A casa é sua e seu comentário será sempre bem-vindo.

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

ARQUIVO DO BLOG