PLANTANDO DÁ, SIM

RECICLAR É PRECISO

RECICLAR É PRECISO
RECICLAR É PRECISO. O MAIS, SERÁ PRECISO? Viver com alegria é viver em paz e harmonia. É olhar com a alma, observar com o coração, agir em conformidade com a natureza. Somos tanto mais necessários quanto mais úteis, em equilíbrio com o todo. Somos um; você sou eu e tudo o que o afeta, afeta a mim, também.

VOCÊ ENCONTROU O QUE QUERIA? PESQUISE. Nas guias está a matéria que interessa a você.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.
GUIAS (OU ABAS): 'este blog', 'blogs interessantes', 'só direito', 'anotações', 'anotando e pesquisando', 'mais blogs'.

VAMOS LÁ! CLIQUE PARA SEGUIR!

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

O que fazer no final de semana? Projeto Música no Museu


A Fundação Casa de Rui Barbosa recebe mensalmente o projeto Música no Museu, que no mês de setembro, é dedicado aos concertos de piano. No dia 10 de setembro, às 12h30, a série promove a apresentação da pianista Fernanda Canaud no auditório da FCRB, com entrada franca. No programa, composições de Ernesto Nazareth, Barrozo Netto, Guerra Peixe, Villa-Lobos, F. Mignone, Cláudio  Santoro e Chiquinha Gonzaga.

O Música no Museu realizará ainda no mês de setembro, outros 38 concertos em diferentes museus e centros culturais, unindo Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul e cidades de Portugal, na versão Música no Museu Internacional. 


Sobre o projeto Música no Museu: Inaugurado em dezembro de 1997, pelo violonista Turíbio Santos, o projeto Música no
Museu apresenta espetáculos de música, alternada ou esporadicamente, no Rio de Janeiro, em quarenta e dois museus, igrejas e centros culturais.  A série, que ganhou a Ordem do Mérito Cultural em 2008 e o Latin American Quality Awards em 2011, tem como principais objetivos formar novas plateias, incentivar jovens músicos e oferecer espetáculos de alto nível a custo zero. Entre outros patrocinadores, o  projeto tem o apoio do Ministério da Cultura, por meio da Lei Rouanet.

Sobre Fernanda Canaud 
A pianista studou Pró-Arte e Escola de Música da Ufrj. Sua formação pianística deve-se aos mestres Homero Magalhães, Linda Bustani, Sergei Dorensky, Telmo Cortes, Glória Maria Fonseca Costa, Arnaldo Cohen, Antônio Guedes Barbosa, Míriam Dauelsberg e Ondine Mello. Em 1991, concluiu o mestrado em Música pela UFRJ.
Obteve oito prêmios em concursos nacionais de piano e bolsa de Sergei Dorensky para estudar no Conservatório de Moscou, em 1988.
Apresentou-se com renomadas orquestras brasileiras, além de ter tocado em diversas salas de concerto do Brasil, atuando em recitais como solista e camerista, e em festivais e eventos tradicionais, como a Bienal de Música Contemporânea Brasileira e o Festival Villa-Lobos.
No exterior tocou como solista no Festival de Música da Umbria, na Itália. Realizou recitais na França, na Inglaterra, Holanda, Espanha, Suíça e Colômbia.
Especializou-se como conhecedora da obra de Radamés Gnattali.




Maria da Glória Perez Delgado Sanches

Membro Correspondente da ACLAC – Academia Cabista de Letras, Artes e Ciências de Arraial do Cabo, RJ.

Conheça mais. Faça uma visita blogs disponíveis no perfil: artigos e anotações sobre questões de Direito, português, poemas e crônicas ("causos"): http://www.blogger.com/profile/14087164358419572567
Pergunte, comente, questione, critique.
Terei muito prazer em recebê-lo.
Postar um comentário

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.
Ser feliz é uma opção e você é livre para viver a vida. Escolha seu sonho. Vale a pena.

QUEM SOU EU

Minha foto

Da capital, já morei entre verde e bichos, na lida com animais e plantas: anos de injeção, espinho de ouriço, berne, parto de égua e curva de nível, viveiros, mudas, onde encontrei tempo para lecionar inglês, alfabetizar adultos e ler livros, na solidão do mato. 

Paixões se sucederam e convivem até hoje: Contabilidade, Economia, Arquitetura (IMES, MACK), a chácara e, afinal, o Direito (FDSBC, cursos e pós graduações). No Judiciário desde 2005, planto, replanto, reciclo, quebro paredes, reconstruo, estudo, escrevo e poetizo, ao som de passarinhos, que cantam nossa liberdade.

Não sou da cidade, tampouco do campo. Aprendiz, tento captar o que a vida oferece, para que o amanhã seja melhor. Um mundo melhor, sempre.

Agora em uma cidade mágica, em uma casa mágica, na qual as coisas se transformam e ganham vida; mais e mais vida. Minha cidade-praia-paraíso, Itanhaém.

Nesta casa de espaços amplos e um belo quintal, que jamais é a mesma do dia anterior, do minuto anterior (pois a natureza cuida do renovar a cada instante o viço, as cores, flores, aromas e sabores) retomei o gosto pelo verde, por releituras de espaços e coisas. Nela planto o que seja bom de comer ou de ver (ou deixo plantado o que Deus me trouxe), colho, podo, cozinho os frutos da terra, preparo conservas e invento pratos de combinações inusitadas, planejo, crio, invento, pinto e bordo... sonho. As ideias brotam como os rebentos e a vida mostra-se viva, pulsante.

Aqui, em paz, retomo o fazer miniaturas, componho terrários que encantam, mensagens de carinho representadas em pequenas e delicadas obras. 

Muito prazer! Fique à vontade, passeie um pouco: questões de Direito, português, crônicas ("causos"), jardinagem e artesanato. Uma receita, uma experiência nova, um redescobrir. 

Pergunte, comente, critique, ok? A casa é sua e seu comentário será sempre bem-vindo.

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

ARQUIVO DO BLOG