PLANTANDO DÁ, SIM

RECICLAR É PRECISO

RECICLAR É PRECISO
RECICLAR É PRECISO. O MAIS, SERÁ PRECISO? Viver com alegria é viver em paz e harmonia. É olhar com a alma, observar com o coração, agir em conformidade com a natureza. Somos tanto mais necessários quanto mais úteis, em equilíbrio com o todo. Somos um; você sou eu e tudo o que o afeta, afeta a mim, também.

VOCÊ ENCONTROU O QUE QUERIA? PESQUISE. Nas guias está a matéria que interessa a você.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.
GUIAS (OU ABAS): 'este blog', 'blogs interessantes', 'só direito', 'anotações', 'anotando e pesquisando', 'mais blogs'.

VAMOS LÁ! CLIQUE PARA SEGUIR!

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

PARA UM DEZEMBRO MAIS DOCE

Pastel de santa clara e salame de chocolate: doces portugueses. ovos, convento e freiras
Sexta-feira, 1º de dezembro, um pastel de santa clara convidava a começar o mês com mais sabor: "Que tal um doce português para o dezembro mais doce?" Cada um arruma a sua desculpa para seus propósitos. O pastel de santa clara, conhecido e, claro, tradicional doce português, nasceu como...


Sexta-feira, 1º de dezembro, um pastel de santa clara convidava a começar o mês com mais sabor: "Que tal um doce português para o dezembro mais doce?" Cada um arruma a sua desculpa para seus propósitos.

O pastel de santa clara, conhecido e, claro, tradicional doce português, nasceu como a maioria dos doces portugueses, nos conventos, por volta do século XVI, preparados com gema de ovos e açúcar.

Representa perfeitamente a história das claras que se prestavam a engomar os hábitos das freiras e as roupas dos nobres, enquanto as gemas, sobras dos ovos, tiveram como solução criativa a confecção de doces deliciosos.

Mas o meu pastelzinho ficou devendo, porque em nada se igualava à guloseima, senão na imagem: seco, massa folhada dura, recheio sabido a maisena, um fiasco!

Nada que passasse perto dos quitutes portugueses conhecidos: delicados, leves, tão semelhantes em seus  ingredientes e dessemelhantes no resultado.

Enfim, se compra por impulso é sempre uma aposta, R$ 7,00 não são uma fortuna para chorar serem deitados fora. Paciência, lanchonete não é lugar para a compra de doce tradicional e especial, feito por mãos experientes.


GOSTOU? COMPARTILHE

Há em Itanhaém diversas e apetitosas confeitarias. É bater perna, escolher e provar, em mais de uma, para dar conta de fazer uma lista com os melhores doces portugueses da região.  

Para compensar o fiasco, fui ao mercado, comprei os ingredientes e preparei alguns salames de chocolate, com a receitas original. O doce, tradicional em Portugal e na Itália, é feito com bolacha tipo Maria, manteiga, açúcar e ovos (claro!). No Brasil, tudo adaptado, trocam tudo por leite condensado, uma heresia!

Se a tarde não matou a vontade de comer um doce diferente, meus salames na geladeira dão conta do recado e vou fatiando pouco a pouco, sem pressa. 

A propósito, o salame de chocolate é muuuuito fácil de fazer, fica crocante e rende bastante:



INGREDIENTES
100 gramas de manteiga sem sal
100 gramas de açúcar
100 gramas de chocolate em pó (não achocolatado)
200 gramas de biscoito Maria picados grosseiramente

COMO FAZER
Amasse a manteiga, misture o açúcar e o chocolate, sempre mexendo. Obtida uma massa lisa, acrescente delicadamente o biscoito.
Despeje em papel manteiga ou papel filme e molde cilindros, formando salames. Leve ao congelador até que fique firme (o ideal é servir apenas no dia seguinte).
Retire o papel e embale com papel alumínio ou use a imaginação: tecido, barbante, ou cobrir com uma camada de açúcar de confeiteiro, antes de levar ao freezer com congelador. 
Pronto!
Para servir, basta cortar em fatias, como um salame. Se quiser, pode acrescentar especiarias, castanhas. 

DEIXE SEU COMENTÁRIO. SEMPRE É POSSÍVEL MELHORAR

 

Escreva, comente. Se para elogiar, obrigada. Mas posso ter pecado e truncado o texto, cometido algum erro ou deslize (não seria a primeira vez). Comentando ajudará a mim e àqueles que lerão o texto depois de você. Culpa minha, eu sei. Por isso me redimo, agradeço e tentarei ser melhor, da próxima vez. 


 Obrigada pela visita!

QUER RECEBER DICAS? SIGA O BLOG. 

SEJA LEAL. NÃO COPIE, COMPARTILHE.
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Respeite o direito autoral.
Gostou? Clique, visite os blogs, comente. É só acessar:

CHAPÉU DE PRAIA

MEU QUADRADO

"CAUSOS": COLEGAS, AMIGOS, PROFESSORES

GRAMÁTICA E QUESTÕES VERNÁCULAS
PRODUÇÃO JURÍDICA
JUIZADO ESPECIAL CÍVEL (O JUIZADO DE PEQUENAS CAUSAS)

e os mais, na coluna ao lado. Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.
Um abraço!
Thanks for the comment. Feel free to comment, ask questions or criticize. A great day and a great week! 

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches
Postar um comentário

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.

DÊ UMA CHANCE PARA SEUS SONHOS. DA CIDADE GRANDE PARA A CASA NA PRAIA, COM UM GRAAAAAANDE TERRENO.
Ser feliz é uma opção e você é livre para viver a vida. Escolha seu sonho. Vale a pena.

QUEM SOU EU

Minha foto

Da capital, já morei entre verde e bichos, na lida com animais e plantas: anos de injeção, espinho de ouriço, berne, parto de égua e curva de nível, viveiros, mudas, onde encontrei tempo para lecionar inglês, alfabetizar adultos e ler livros, na solidão do mato. 

Paixões se sucederam e convivem até hoje: Contabilidade, Economia, Arquitetura (IMES, MACK), a chácara e, afinal, o Direito (FDSBC, cursos e pós graduações). No Judiciário desde 2005, planto, replanto, reciclo, quebro paredes, reconstruo, estudo, escrevo e poetizo, ao som de passarinhos, que cantam nossa liberdade.

Não sou da cidade, tampouco do campo. Aprendiz, tento captar o que a vida oferece, para que o amanhã seja melhor. Um mundo melhor, sempre.

Agora em uma cidade mágica, em uma casa mágica, na qual as coisas se transformam e ganham vida; mais e mais vida. Minha cidade-praia-paraíso, Itanhaém.

Nesta casa de espaços amplos e um belo quintal, que jamais é a mesma do dia anterior, do minuto anterior (pois a natureza cuida do renovar a cada instante o viço, as cores, flores, aromas e sabores) retomei o gosto pelo verde, por releituras de espaços e coisas. Nela planto o que seja bom de comer ou de ver (ou deixo plantado o que Deus me trouxe), colho, podo, cozinho os frutos da terra, preparo conservas e invento pratos de combinações inusitadas, planejo, crio, invento, pinto e bordo... sonho. As ideias brotam como os rebentos e a vida mostra-se viva, pulsante.

Aqui, em paz, retomo o fazer miniaturas, componho terrários que encantam, mensagens de carinho representadas em pequenas e delicadas obras. 

Muito prazer! Fique à vontade, passeie um pouco: questões de Direito, português, crônicas ("causos"), jardinagem e artesanato. Uma receita, uma experiência nova, um redescobrir. 

Pergunte, comente, critique, ok? A casa é sua e seu comentário será sempre bem-vindo.

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

ARQUIVO DO BLOG